quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Defesa de Dissertação em Saúde Coletiva (UECE) de Elzo Pereira Pinto Junior

Flagrante da banca com o mestrando, logo após a defesa de dissertação do fisioterapeuta Elzo Pereira Pinto Junior. Elzo está ladeado pelos professores Marcelo Gurgel Carlos da Silva e Thereza Maria Magalhães Moreira, à esquerda, e por Kelly Leite Maia de Messias, à direita.
(Foto cedida por Thaís Brasil).
Elzo Pereira Pinto Junior e Marcelo Gurgel Carlos da Silva.
(Foto cedida por Thaís Brasil).
Aconteceu na manhã de ontem (16/9/14), na Universidade Estadual do Ceará, a defesa de Dissertação de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (PPSAC) da UECE.
A banca examinadora, composta pelos Profs. Drs. Marcelo Gurgel Carlos da Silva, Kelly Leite Maia de Messias e Thereza Maria Magalhães Moreira, aprovou a Dissertação “INTERNAÇÕES POR CONDIÇÕES SENSÍVEIS À ATENÇÃO PRIMÁRIA EM MENORES DE CINCO ANOS E EXPANSÃO DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA NA BAHIA: um estudo ecológico com dados em painel”, apresentada pelo mestrando e nosso orientado ELZO PEREIRA PINTO JUNIOR.
Com essa conclusão, completamos 39 (trinta e nove) orientados de mestrado.
Marcelo Gurgel Carlos da Silva
Professor do PPSAC-UECE

 

terça-feira, 16 de setembro de 2014

GILMÁRIO MOURÃO TEIXEIRA: tisiologista de renome internacional


Gilmário Mourão Teixeira nasceu em 25 de dezembro de 1919, em Jaguaribe-CE.
Cursou o Seriado em Fortaleza, no Liceu do Ceará, de 1936 a 1940; depois, foi para Recife-PE, onde estudou o Propedêutico Pré-médico, em 1941 e 1942.
Fez a graduação em Medicina na Faculdade de Medicina da Universidade do Recife (a atual Universidade Federal de Pernambuco-UFPE), de 1943 a 1948. Tornou-se Doutor em Medicina, pela UFPE, em virtude da obtenção da Livre-Docência em Tisiologia, em 1956. Complementou a sua pós-graduação, com cursos e estágios de aperfeiçoamento médico realizados principalmente no exterior.
Ingressou no magistério superior, em 1950, em Fortaleza, como professor da Faculdade de Medicina do Ceará e da Escola de Serviço Social do Ceará. Em 1951, entrou como docente da Escola de Enfermagem São Vicente de Paulo.
Com a instalação da Universidade Federal do Ceará (UFC), em 1954, foi enquadrado como professor catedrático de Patologia Geral da Faculdade de Medicina (FMUFC), passando depois a professor de Tisiologia, no Departamento de Medicina Preventiva da FMUFC. Na UFC, ocupou ainda as seguintes funções: membro do Conselho Universitário; diretor e professor do Curso de Especialização em Pneumologia; chefe do Departamento de Medicina Preventiva; membro do Conselho Departamental da FMUFC.
Como médico tisiologista, Gilmário Mourão Teixeira exerceu cargos e funções diretivas em organismos nacionais, engajados no combate à tuberculose.
De grande relevo foram os cargos e funções exercidos por esse tisiologista brasileiro em organismos internacionais, valendo destacar os desenvolvidos no âmbito da Organização Pan-americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPS/OMS), junto aos Ministérios da Saúde de vários países americanos.
Gilmário Mourão Teixeira foi, ou tem sido, ativo participante de diversas sociedades médicas, nacionais e internacionais. Foi intensa a sua participação oficial em congressos e seminários realizados no Brasil e no estrangeiro, com mais de uma centena de apresentações, como expositor convidado.
Paralelamente às suas atividades de professor, médico e consultor, cuidou da sua produção intelectual, tendo seu nome inserido em quatro livros: “A cura aberta da caverna tuberculosa do pulmão”, “Control de Tuberculosis en América Latina”; “Controle da Tuberculose” e “Tuberculose – Guia de Vigilância Epidemiológica.
Sua produção científica é sobretudo marcada por agregar conhecimentos científicos à prática médica e sanitária, resultando em mais de trinta publicações, além de 32 editoriais relacionados à luta contra a tuberculose no Brasil.
Como reconhecimento de sua competência técnica e do seu profícuo labor, foi alvo de muitas distinções e honrarias.
È membro honorário da Academia Cearense de Medicina, empossado em 12 de maio de 2006, o qual, por sua constante presença nos eventos acadêmicos, dignifica o sodalício.
Prof. Dr. Marcelo Gurgel Carlos da Silva
Da Academia Cearense de Medicina – Cad. 18

* Publicado In: Jornal do médico em revista, 10(57): 9, julho-agosto de 2014. (Revista Médica Independente do Ceará).

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

PERGUNTAR SERÁ PECADO?

 Meraldo Zisman (*)
Médico-Psicoterapeuta

De quando em vez surpreendo-me com coisas que já sei. Desta vez foi com a pesquisa de julho de 2010 do Tribunal Eleitoral sobre o nível da escolaridade do eleitor brasileiro. Se não, vejamos: de um total de 135,8 milhões de votantes, 5,9% são analfabetos, 35% informaram saber ler e escrever, mas a maioria não concluiu o primeiro grau escolar, o que significa que não frequentaram escola e provavelmente não sabem interpretar textos.
Apesar de concordar com a ideia de que o processo democrático é algo dinâmico e em constante aperfeiçoamento, enquanto os regimes ditatoriais são estáticos e donos de uma verdade que é a do ditador, acredito no que ensina o sociólogo alemão Max Weber (1864-1920): "A Democracia é a melhor forma de governo, porém possui o seu calcanhar de Aquiles. É o seu colégio eleitoral".

Continuo.
O voto de curral era a expressão empregada para designar o sistema eleitoral onde a eleição era manipulada pelos Coronéis, figuras que detinham o poder social e político em diversas regiões do País. Não importando a forma de governo central, Brasil Colonial, Império ou República, quem mandava e desmandava eram esses pequenos caudilhos. O seu poder assemelhava-se ao feudo medieval, mas em lugar de fossos e muralhas havia cercas de arame farpado para guardar seus eleitores de cabresto...

Com o advento da TV e da eletrônica pensei que muita coisa iria mudar. Mudou sim, mais muito pouco. Nas grandes cidades - ou na maioria delas - quem manda são os donos da Mídia, principalmente os donos das cadeias de TV. De um povo cuja cultura vem das novelas, dos programas de baixo nível, desestruturado, analfabeto, o que se poderá esperar como resultado eleitoral?
Olhando de determinado ângulo este tal progresso tecnológico, tenho cá minhas duvidas. Quem sabe com esses esclarecimentos, venhamos a fazer escolhas piores do que as que fazíamos antes. Não há mais barreira física contra a informação: onda de rádio, sinal de televisão ou onde despontam os sinais da Internet com a sua democratização da informação.

A informação penetra em todos os lugares e lares. Esboroaram-se os castelos dos nossos antigos coronéis. E tem mais, pelo andar da carruagem, a cerca do curral e os poderes dos coronéis estão ultrapassados, mas não deixam de existir - subliminarmente. Agora o céu é o limite. Ou dizendo de outra maneira: continuamos cercados pelos arames farpados do analfabetismo, agora intoxicados pelos marqueteiros eleitoreiros com suas mídias sociais.
Sem Educação e Ensino não haverá tecnologia que seja capaz de fazer avançar a Democracia Brasileira. Ficamos no mesmo coronelismo, agora apenas camuflado. Que importa se a urna é eletrônica, quando a massa eleitoral não tem escola para aprender ou se esclarecer? Se a cabeça do votante continua desinformada e agora mais confusa.

Para concluir, vou confessar uma coisa (sem saudosismo piegas). No tempo dos coronéis era tudo mais simples e havia um folclore mais engraçado. Costumo dizer: sem humor, do que vale viver? Havia todo um folclore envolvido, cujo centro era, na maioria das vezes, o chefe político ou o dito coronel. O voto era passado das mãos do coronel para o eleitor em cédula dobrada e quando o pobre do eleitor queria ver o nome em que ia votar, o chefe, o capataz ou o cabo eleitoral ou qualquer coisa que o valha gritava: "Pra que olhar primeiro se você nem sabe ler e depois o voto é secreto. Você não sabe disso? Seu idiota! Quer ir pro xilindró? Olha o meganha aí para te prender..."
Agora tudo mudou, graças a tal da(s) cestas(s) básica (s)???
Tenho minhas dúvidas!

(*) Professor Titular da Pediatria da Universidade de Pernambuco. Psicoterapeuta. Membro da Sobrames/PE, da União Brasileira de Escritores (UBE) e da Academia Brasileira de Escritores Médicos (ABRAMES).

domingo, 14 de setembro de 2014

BELOS CAMINHOS II

 
 
 
 
Fonte: Circulando por e-mail (internet).

BELOS CAMINHOS I




 
Fonte: Circulando por e-mail (internet).

sábado, 13 de setembro de 2014

A Frase (imbatível) do Ano

"Sou totalmente a favor do casamento gay principalmente, entre os políticos. Tudo que venha contribuir para eles não se reproduzirem... é bom para o Brasil."

Fonte: Internet (circulando por e-mail).

ANTES x AGORA III


saquei
tô ligado
entendeu?
copiou?
gafe
mico
fofoca, ti-ti-ti
babado
ha ha ha
uhauhauhauha
fotocópia
Xerox
brilho labial
gloss
bola ao cesto
basquete
folhinha
calendário
empregada doméstica
secretária
faxineira
diarista
vou verificar
vou estar verificando
madureza
supletivo
vidro fumê
insulfilm
posso te ligar?
posso te add?
tingir uma roupa
customizar
dar no pé, ir embora
vazar
embrulho
pacote
lycra
stretch
tristeza
deprê
beque
zagueiro
rádio patrulha
viatura
atlético
sarado
peituda
siliconada
professor de ginástica
personal
quadro negro
board
babosa
aloe vera
lepra
hanseníase
Ave Maria!!!
Afffff!!
caramba
caraca
namoro
pegação

Fonte: Internet (circulando por e-mail).

 
 

Free Blog Counter
Poker Blog