sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

ANO NOVO: as necessárias desidealizações


Por José Jackson Coelho Sampaio (*)
Precisamos de ritos, mas não aqueles que nos fazem repetir erros ou voltar às mesmas ações como se tivéssemos perdido a memória. Então, vamos aos ritos, à alegria de lutas e conquistas, porém, adeus às ilusões. Neste início de 2018 impõe-se desidealizar o Ano Novo, a felicidade, o amor, a família e a política.
Uma mudança de ano raramente significa ruptura de ordem ou lógica. Precisa-se do rito pela marcação do tempo, que assim pode ser domado, sem a imprevisibilidade da morte. Continuamos desafiados a resolver os problemas ou a romper os impasses que deveríamos ter feito no ano anterior e não nos foi possível.
A felicidade, como meta obsessiva, totalitária e inexorável, semeia a vida de infelicidade, que, quando não aceita, é rotulada de fracasso ou doença. Sem a adjetivação, o melhor talvez seja pôr a dignidade como meta, pois enfrentar os desafios é melhor do que soluções provisórias que, sem dúvida, excluem outras saídas.
O amor tornou-se panaceia universal. O som da palavra parece tudo explicar e resolver. Mas, não há amor à primeira vista, precisa de amadurecimento. Amor é incompatível com sua redução à sexualidade ou à sua transferência para abstratos construtos de ideologias e crenças. O que requer é generosidade e reconhecimento do amado como ser autônomo perante o amador.
A família é uma instituição histórica, ainda melhor que o Estado para a tarefa de cuidar de crianças, mas datada e mutável. Há que atentar para a multiplicidade das formas que ela, hoje, adquire. Contanto que possam ser praticadas as funções de acolher, cuidar e organizar scripts de vida, sustentando a solidez das narrativas que nos constituem.
Quanto à política? Os humanos somos política, ética e técnica. Ela não nos salva, é só o modo de inventar, instituir e distribuir poder, gerando critérios para a divisão de trabalho na sociedade e na economia. Recuse quem ganha poder com a ignorância e os medos das maiorias. Vote na liberdade, na igualdade de direitos, no respeito à diversidade.
(*) Professor titular em saúde pública e reitor da Uece.
Publicado. In: O Povo, Opinião, de 13/1/18. p.10.

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

FRASES E PENSAMENTOS DE SHAKESPEARE IV


22 “Um indivíduo pode sorrir, sorrir, e ser um vilão.”
23 “Todos empreendimentos humanos têm uma maré enchente que, aproveitada em tempo, conduz à fortuna.”
24 “Até hoje não houve filósofo que padecesse pacientemente uma dor de dentes.”
25 “Quem não tem dinheiro, meios e paz, carece de três bons amigos.”
26 “É estranho que, sem ser forçado, saia alguém em busca de trabalho.”
27 “Atiramos o passado ao abismo – mas não nos inclinamos para ver se está bem morto.”
28 “Ninguém poderá jamais aperfeiçoar-se, se não tiver o mundo como mestre. A experiência se adquire na prática.”
Fonte: gingaronline.com

HOLISMO NA ACADEMIA


Por Daniele Vasconcelos Fernandes Vieira (*)
Holismo deriva do grego holos que significa ser inteiro, ser todo, onde o todo não se constitui pela soma das partes, mas em cada parte se localiza o todo. O ambiente acadêmico é amplo, intenso e fervilhante. Nascem desse universo, proposições e soluções para os problemas de gestão das áreas sociais, de saúde, do direito e da segurança pública; para o desenvolvimento científico e tecnológico e para o aprimoramento dos sistemas político-econômico e judiciário.
É, em potência, um território onde tudo pode ser cultivado e semeado. No entanto, ainda composto pela soma das partes, fragmentado em sua conformação. É predominante a formação de um único aspecto do ser, o qual trata do estímulo ao desenvolvimento intelectual.
Na visão global do holismo, contudo, procura-se empreender na formação de pessoas mais seguras, íntegras, éticas, confiantes, bem relacionadas, solidárias, fraternas e que aprendam a superar situações conflitantes de modos saudáveis, imbricando a capacidade lógica de resolução dos problemas e conflitos com o equilíbrio do ser, integrando-o ao ambiente onde o mesmo está inserido.
Se nossa formação acadêmica central não nos prepara e não nos motiva a exercer essas habilidades, onde podemos busca-las, então? Onde estarão as pessoas, os conteúdos, os equipamentos e materiais que possam dar suporte para esse aprendizado?
Essas perguntas têm sido propulsoras para estudantes e professores caminharem no lado de fora das rotas acadêmicas, em busca de estabelecer alinhamentos entre o crescimento intelectual, que versa sobre o desenvolvimento cognitivo, e as inteligências intuitiva, instintiva, espiritual, ecológica e social.
Vem com essas questões o grande desafio acadêmico de integrar o conhecimento científico sobre o qual se consolida a universidade ao autoconhecimento sobre o qual versa a experiência do ser humano em todos os seus processos vividos. O paradigma holístico é uma visão de mundo que pode ser prática e vivencial em todas as áreas do saber. Pode-se considerar a academia como um ambiente propício para a implementação desse sistema não-mecanicista e não-cartesiano. É, portanto, sábio pelas potencialidades desse meio, entender que o ambiente acadêmico pode ser um importante aliado para nos conduzir na construção do conhecimento holístico, valorizando, assim, o pensamento educativo, humanista e transpessoal.
(*) Professora do curso de Medicina da UECE e pesquisadora dos paradigmas emergentes em saúde: bem-estar e qualidade de vida.
Fonte: Publicado In: O Povo, de 10/1/2018. Opinião. p.10.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

FRASES E PENSAMENTOS DE SHAKESPEARE III


15 “A ambição deveria ser feita de pano mais resistente.”
16 “Nunca reveles com facilidade o teu pensamento, nem executes nunca o que bem não tenhas ponderado.”
17 “Não há culpados. O que há são desgraçados.”
18 “É mais fácil obter o que se deseja com um sorriso do que à ponta da espada.”
19 “As paixões ensinaram a razão aos homens.”
20 “Quando o dinheiro vai na frente, todos os caminhos se abrem.”
21 “Não é digno de saborear o mel, aquele que se afasta da colméia com medo das picadelas das abelhas.”
Fonte: gingaronline.com

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

FRASES E PENSAMENTOS DE SHAKESPEARE II


8 “Todo mundo é capaz de dominar uma dor, exceto quem a sente.”
9 “O bom vinho é um camarada bondoso e de confiança, quando tomado com sabedoria.”
10 “A glória é como o círculo na água; nunca cessa de se dilatar até que, à força de se expandir, se perde no nada.”
11 “Mal usada, mesmo a mais dura faca perde o fio.”
12 “Quem é orgulhoso a si próprio devora.”
13 “Não há nada bom ou nada mau, mas o pensamento o faz assim.”
14 “Até mesmo a bondade, se em demasia, morre do próprio excesso.”
Fonte: gingaronline.com

FRASES E PENSAMENTOS DE SHAKESPEARE I


1 “Quem não sabe mandar deve aprender a ser mandado.”
2 “As coisas mais mesquinhas enchem de orgulho os indivíduos baixos.”
3 “Sem saber amar não adianta amar profundamente.”
4 “A beleza persuade os olhos dos homens por si mesma, sem necessitar de um orador.”
5 “Algumas quedas servem para que nos levantemos mais felizes.”
6 “A gratidão é o único tesouro dos humildes.”
7 “A beleza atrai os ladrões mais do que o ouro.”
Fonte: gingaronline.com

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

IRMÃS GÊMEAS

Por Luiz Gonzaga Fonseca Mota (*)
A Política e a Economia são duas Ciências com um grau de correlação significativo e dependem de variáveis endógenas e exógenas. De forma resumida apresentamos apenas duas situações envolvendo fundamentos relacionados com as mencionadas Ciências. Ambas abrangem diversos campos como a filosofia, o social, a justiça, a teoria dos jogos, relações internacionais, direito, administração e gestão, processo legislativo, etc. As duas situações escolhidas ressaltam dois indicadores políticos (estabilidade e incerteza) e um indicador econômico (crescimento). Comentamos, por exemplo, de forma simples, sem auxilio visual, dois gráficos que mostram o comportamento político e econômico de um país. Para tanto, usamos o primeiro quadrante do sistema cartesiano de coordenadas (“abscissas” -eixo horizontal e “ordenadas” – eixo vertical). O primeiro gráfico (estabilidade política “versus” crescimento) nos mostra uma curva ascensional da esquerda para direita, ou seja, quanto maior a estabilidade política, maior será a perspectiva de crescimento econômico. Por outro lado o segundo gráfico (incerteza política “versus” crescimento) nos mostra uma curva descencional de esquerda para direita, ou seja, quanto maior a incerteza (instabilidade) política, menor será a perspectiva de crescimento econômico. Um país politicamente instável (com corrupção endêmica, poderes constituídos em desarmonia e não independentes, baixo nível educacional, privilégios, etc.) jamais conseguirá bons indicadores. Às vezes consegue, como dizem os economistas, um rápido “voo” de galinha. Democracia plena é a solução.
(*) Economista. Professor aposentado da UFC. Ex-governador do Ceará.
Fonte: Diário do Nordeste, Ideias. 12/1/2018.
 

Free Blog Counter
Poker Blog