domingo, 21 de dezembro de 2014

APLICAÇÕES DA LEI DE MURPHY II

5 - LEI DAS UNIDADES DE MEDIDA:
* Se estiver escrito 'Tamanho Único', é porque não serve em ninguém, muito menos em você...

6 - LEI DA GRAVIDADE:
* Se você consegue manter a cabeça enquanto à sua volta todos a estão perdendo, provavelmente você não está entendendo a gravidade da situação..
 
7 - LEI DOS CURSOS, PROVAS E AFINS:
* 80% da prova final será baseada na única aula a que você não compareceu e os outros 20% será baseada no único livro que você não leu.

8 - LEI DA QUEDA LIVRE:
* Qualquer esforço para agarrar um objeto em queda provoca mais destruição do que se o deixássemos cair naturalmente.
* A probabilidade de o pão cair com o lado da manteiga virado para baixo é proporcional ao valor do carpete.
Fonte: Internet (circulando por e-mail). Autoria ignorada.

APLICAÇÕES DA LEI DE MURPHY I

1 - LEIS BÁSICAS DA CIÊNCIA MODERNA
* Se mexer, pertence à Biologia.
* Se feder, pertence à Química.
* Se não funciona, pertence à Física.
* Se ninguém entende, é Matemática.
* Se não faz sentido, é Economia ou Psicologia.
* Se mexer, feder, não funcionar, ninguém entender e não fizer sentido, é INFORMÁTICA.

2 - LEI DA PROCURA INDIRETA:
* O modo mais rápido de encontrar uma coisa é procurar outra.
* Você sempre encontra aquilo que não está procurando.

3 - LEI DA OFERTA E PROCURA
* Toda a vez que você quer vender alguma coisa pelo preço que vale sempre tem alguém querendo pagar o preço que ela pensa que vale (menos).

4 - LEI DA TELEFONIA:
* Quando te ligam: se você tem caneta, não tem papel. Se tiver papel, não tem caneta. Se tiver ambos, ninguém liga.
* Quando você liga para números errados de telefone, eles nunca estão ocupados.
* Parágrafo único: Todo corpo mergulhado numa banheira ou debaixo do chuveiro faz tocar o telefone.
Fonte: Internet (circulando por e-mail). Autoria ignorada.

sábado, 20 de dezembro de 2014

COBRA PETISTA



Fonte: Fotomontagem circulando por e-mail (internet), sem autoria explícita.

Quem me deu: Petrobras x Deus

 


Chargista: Lailson
Fonte: Circulando por e-mail (internet).

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

MEC reprova 27 cursos de medicina do Brasil

O ranking nacional de medicina, a melhor colocada cearense foi a Universidade Estadual do Ceará (Uece), que ficou na 17° posição

De 154 cursos de medicina no Brasil avaliados pelo Ministério da Educação (MEC) no ano passado, 27 receberam desempenho "ruim", segundo dados divulgados nesta quinta-feira, 18, no Diário Oficial da União. Dentre os cursos "reprovados", há cinco de universidades federais, uma delas no Nordeste: Universidade Federal de Campina Grande.
As outras federais que apresentaram desempenho ruim são as do Pará São João del Rei (Minas Gerais), Rio Grande do Sul (em Porto Alegre) e Pelotas (também no RS). Os dados do MEC, levam em consideração titulação do corpo docente, infraestrutura da instituição, qualidade de ensino, avaliação do mercado e até as notas dos estudantes no Enade.
O desempenho 'ruim' corresponde a nota 2 do Conceito Preliminar de Curso (CPC), que varia de 1 a 5. Além de medicina, também foram avaliados os demais cursos da área de saúde, como odontologia, enfermagem e educação física. No ranking nacional de medicina, a melhor colocada cearense foi a Universidade Estadual do Ceará (Uece), que ficou na 17° posição.
Em seguida, também no ranking de medicina nacional, estão Universidade Federal do Ceará (UFC), no 23° lugar, Universidade de Fortaleza (Unifor), no 41° lugar, Centro Universitário Christus (Unichristus), na 95° posição, e Faculdade de Medicina Estácio de Juazeiro do Norte (FMJ), na 162° posição.
Ao todo, 90 cursos de medicina apareceram com conceito 3 e 34 com conceito 4. Nenhuma graduação obteve conceito 5 e três estão "sem conceito'' (recém-abertos que não completaram ciclo de avaliação). O Brasil possui cerca de 206 cursos de medicina, segundo censo de ensino mais recente.
As 10 melhores universidades do Brasil, segundo o MEC: 1º USP (SP), 2º UFMG (MG), 3º UFRJ (RJ), 4º UFGRS (RS), 5º Unicamp (SP), 6º Unesp (SP), 7º UFSC (SC), 8º UnB (DF), º UFPR (PR) e10º UFSCar (SP).
Fonte: O Povo, mais notícias/Brasil, de 18/12/14.

Inauguração da Biblioteca Gerardo Mello Mourão


Participei ontem à noite, 18 de dezembro de 2014, no Centro de Saúde Dom Aloísio Lorscheider, no Campus do Itaperi da UECE, como representante do Instituto do Cãncer do Ceará e da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores – Regional Ceará (Sobrames/CE, da Inauguração da Biblioteca Gerardo Mello Mourão, a primeira localizada em uma unidade básica de saúde de Fortaleza.
A solenidade foi abrilhantada pela estupenda e eletrizante palestra: “Vida e Obra de Gerardo Mello Mourão”, proferida pelo intelectual Juarez Leitão, ilustre integrante da Academia Cearense de letras e do Instituto do Ceará.
Ao término da cerimônia, com o descerramento de placa alusiva ao evento, usei da palavra, salientando a importância daquele equipamento de apoio ao Curso de Medicina da Uece, oportunidade em que destaquei o êxito desse curso no ENADE/2013, e fiz a entrega de uma coleção de Antologias da Sobrames/CE, gentilmente ofertada pela Dra. Celina Côrtes Pinheiro, a presidente dessa entidade cultural.
Marcelo Gurgel Carlos da Silva
Da Sobrames/CE e da Abrames

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

CID E SEU PRONTUÁRIO

João Brainer Clares de Andrade (*)

O Ceará passou quase 10 anos de jejum até ter um novo hospital público estadual
A saúde cearense ganhou corpo, pegou carona na megalomania positiva do governador Cid Gomes e sua equipe. Talvez a vaidade que lhe é própria, aliada a um bom senso e a bom julgamento político, tenha-lhe feito impulsionar área esquecida nos últimos governos. O Ceará passou quase 10 anos de jejum até ter um novo hospital público estadual. Quebrado o jejum, Cid foi responsável pela construção de três novos hospitais no interior do estado, na tentativa de não tardar o atendimento e acalmar os leitos da capital. No entanto, a baixa capacidade de ouvir estagnou, por exemplo, um movimento popular autêntico, tecnicamente bem embasado, da Universidade Estadual do Ceará, que tentou atrair para seu campus o prometido Hospital Metropolitano, que aguarda até hoje autorização para ser construído. Se fosse nas terras do Itaperi, certamente já estaria sendo útil à população do estado.
As policlínicas foram fruto da incontestável falta de especialistas para drenar a demanda da atenção básica, evitando as esperas de meses. Apesar do modelo de contração dos profissionais não oferecer estabilidade, e oferecer baixos salários, as policlínicas dão vazão a um dos principais obstáculos dos postos de saúde; mas ainda falta integração, contra-referência, suporte hospitalar e descentralização.
As UPAs, pegando carona em um modelo de atenção em urgências e emergências do Governo Federal, já têm mais de 2 milhões de atendimentos, poupando unidades complexas de receberem pacientes com agravos simples. O grande problema, no entanto, é o ímpeto pelo número de atendimentos, retirando da responsabilidade da atenção básica boa parte do perfil de atendimento. Além disso, não houve expansão suficiente do Samu e de leitos hospitalares, tidos como indispensáveis a boa parte dos que precisam das UPAs.
Por fim, de concreto no prontuário do governador, constam as idas ao Hospital Geral de Fortaleza, aclamando-o como a maior e mais complexa unidade da rede. No entanto, ao que parece, faz-se vista grossa às dimensões e necessidades do hospital, dilapidando orçamentos, coibindo expansões, tangendo obras a passos pétreos; em nome de um banho de loja que, ainda assim, não aparece nos noticiários da tarde. De herança, é que o próximo governador ouça, veja e sinta melhor; que se inspire nos bons sinais vitais, que tema as efemeridades; que bem evolua, conduza e prescreva as conquistas de Cid.
(*) Médico residente de Neurologia – Hospital Geral de Fortaleza.
Fonte: Publicado In: O Povo, Opinião, de 18/12/2014. p.11.
 

Free Blog Counter
Poker Blog