domingo, 3 de maio de 2015

TERAPIA DO LAÇO CURA ATÉ PETISTA



Por Marcelo Rates Quaranta
A terapia do laço cura até petista.
O pai chega em casa vestido numa novíssima camisa do PT. Entra no quarto do filho e beija o retrato de Che Guevara na parede.
O rapaz espantado pergunta:
- Que é isso paí? Ficou maluco? Logo você que é o maior "coxinha", "reaça" de primeira vestindo a camisa do PT?
- Que nada filho! Agora sou petista! Conversamos tanto sobre o Partido que você me convenceu! PT! PT! VIVA O PT! - grita o velho.
O rapaz, membro do DCE da universidade onde há oito anos  faz um curso dura quatro e fiel colaborador da JPT não se aguenta de tanta alegria!
- Senta aí companheiro! Vamos conversar! O que foi que te levou a essa decisão?
O pai senta-se ao lado do filho e explica:
- Pois é... cansei de discutir contigo e passei a achar que você tem razão. Por falar nisso, lembra do Luís, aquele que te pediu dois mil reais da tua poupança emprestado para dar entrada numa moto?
- O que tem ele? Pergunta o filho...
- Pois é... Liguei pra casa dele e perdoei a dívida. E fiz mais! Falei que ele não precisa se preocupar com as prestações, pois vou usar oitenta por cento da sua mesada para pagar o financiamento!
- Pai!!!!! Você ficou louco? Pirou?
- Filho, lembre-se que agora nós somos petistas". Perdoar dívidas e financiar o que não é nosso com o que não é nosso é a nossa especialidade! Temos que dar o exemplo!
- E tem mais! Agora 49% do seu carro eu passei para sua irmã. Vendi pra ela quase a metade do seu carro! Dessa forma você continua majoritário, mas só podendo usá-lo em 51% do tempo!
- Mas o carro é meu, papai! Não podia fazer isso! Não pode vender o que é meu!
- Podia sim! Nossa Presidenta fez isso com a Petrobrás e você foi o primeiro a apoiar! Só estamos seguindo o caminho dela!
O garoto, incrédulo e desolado entra em desespero, mas o pai continua:
- Outra coisa! Doei seu computador, seu notebook e seu tablet para os carentes lá do morro. Agora eles vão poder se conectar!
- Pai! Que sacanagem é essa?
- Não é sacanagem não, filho! Nós petistas defendemos a doação do que não é nosso, lembra? Doamos aviões, helicópteros, tanques... O que é um computador, um tablet e um note diante disso?
Prestes a entrar em colapso, o garoto recebe a última notícia:
- Filho, lembra daquele assaltante que te ameaçou de morte, te espancou e roubou teu celular? Vou agora mesmo retirar a queixa e depois para a porta da penitenciária exigir a soltura dele, dizendo que ele é inocente!
- Pai... pelo amor de Deus... Você não pode fazer isso... O cara é perigoso!
- Perigoso nada! É direitos Humanos que nós pregamos, filho! Somos petistas com muito orgulho!
- Mas o cara me espancou! Me roubou, pai!
- Alto lá! Não há provas disso! Isso é estado de exceção! O rapaz é inocente! Nós fizemos a mesma coisa com os companheiros acusados no mensalão!
- Mas ele estava armado quando a polícia chegou!
- E daí????? Ele estava armado, mas quem prova que a arma era dele? A revista Veja? Isso é coisa de reaça, filho!
- Papai, você ficou doido! E o pai finaliza:
- Fiquei doido, ô seu filho da p*? Na hora de defender bandido que roubou uma nação você é petista, mas se roubarem você, deixa de ser. Na hora de doar, perdoar dívidas e fazer financiamentos com o que é dos outros, você é petista. Mas se fizer o mesmo com você, deixa de ser. Na hora de dilapidar o patrimônio nacional, vendendo o que é mais precioso e não pertence ao PT e sim ao povo, você é petista, mas se vender metade do que é seu, você deixa de ser!
Dito isso, tirou o cinto de couro grosso e mandou a cinta no moleque!
- TO-MA IS-SO SEU FI-LHO DA P* CRE-TI-NO PRA APRENDER A SER HOMEM E ASSUMIR SUAS IDÉIAS! VAGABUNDO ORDINÁRIO! SALAFRÁRIO! PEGA AS SUAS COISAS E SUMA DAQUI!
- Vou pra onde, papai? Perguntou chorando...
- Agora você é um dos sem-teto que você defende, seu moleque idiota! E vai se consultar com médico cubano, porque eu cancelei teu plano de saúde!
Dois dias depois o moleque bateu na porta curado.
Não era mais petista e não havia mais DCE ou JPT.
E nem chamava o pai de "reaça".
O milagre da educação aconteceu.
O mal do petista é falta de cinturada no lombo!
Fonte: Circulando por e-mails (internet).

sábado, 2 de maio de 2015

Defesa de Tese para Professor Titular da Enfermagem da UFC de Zuíla Carvalho

Flagrante da Comissão Especial Julgadora, logo após a defesa de Tese da enfermeira Zuíla Maria de Figueiredo Carvalho. A Profa. Zuíla está ladeada pelas professoras Maria Salete Bessa Jorge e Ana Fátima de Carvalho Fernandes, à direita, e por Luíza Jane Eyre de Souza Vieira e Marcelo Gurgel Carlos da Silva, à esquerda.
(Foto cedida por Profa. Paula Sacha).



Aconteceu na manhã de quarta-feira (29/04/15), na Universidade Federal do Ceará, a Defesa de Tese, seguida da avaliação de desempenho, para a promoção funcional da classe de professor associado 4 para Professor Titular do Departamento de Enfermagem, da Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem da UFC.
A Comissão Especial Julgadora, composta pelos Profs. Drs. Ana Fátima de Carvalho Fermandes, Maria Salete Bessa Jorge, Marcelo Gurgel Carlos da Silva e Luíza Jane Eyre de Souza Vieira, aprovou a Tese “Confiabilidade da escala modos de enfrentamento de problemas em pessoas com lesão medular traumática”, apresentada pela professora doutora ZUÍLA MARIA DE FIGUEIREDO CARVALHO.
Com essa defesa, completamos 5 (cinco) participações em exames de tese para professor titular.
Marcelo Gurgel Carlos da Silva
Professor do PPSAC-UECE

Defesa de Memorial para Professor Titular da Enfermagem da UFC de Víolante Braga


Flagrante da Comissão Especial Julgadora, logo após a defesa de Tese da enfermeira Violante Augusta Batista Braga. A Profa. Violante está ladeada pela professora Luíza Jane Eyre de Souza Vieira à direita, e por Profs. Ana Fátima de Carvalho Fernandes, Maria Salete Bessa Jorge e Marcelo Gurgel Carlos da Silva, à esquerda.
(Foto cedida por Profa. Paula Sacha).



Aconteceu na manhã de segunda-feira (27/04/15), na Universidade Federal do Ceará, a Defesa de Memorial, seguida da avaliação de desempenho, para a promoção funcional da classe de professor associado 4 para Professor Titular do Departamento de Enfermagem, da Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem da UFC.
A Comissão Especial Julgadora, composta pelos Profs. Drs. Ana Fátima de Carvalho Fermandes, Maria Salete Bessa Jorge, Marcelo Gurgel Carlos da Silva e Luíza Jane Eyre de Souza Vieira, aprovou o Memorial apresentado pela professora doutora VIOLANTE AUGUSTA BATISTA BRAGA.
Marcelo Gurgel Carlos da Silva
Professor do PPSAC-UECE

sexta-feira, 1 de maio de 2015

ORAÇÃO DOS FILHOS DE AUDÍFAX RIOS



Com uma carta emocionada, os filhos de Audifax se despediram do pai. O Vida & Arte reproduz trechos do texto como homenagem. (*)
Dizem os antigos, em sua sabedoria, que o sofrimento e a impermanência são as marcas da vida do homem sobre a terra. Para vencer o sofrimento, o homem inventa prazeres e alegrias passageiras, como se pudesse afirmar a vida em uma fantasia constante. Para vencer a impermanência, o homem constrói pirâmides e títulos para que guardem e imortalizem a sua memória, como se fosse possível parar a marcha incessante do tempo.
Essas filosofias falam de um homem abstrato, ainda não nomeado em sua unicidade e particularidade intransferível. Hoje aqui, não falamos de um homem abstrato, mas de uma pessoa real, concreta, tangível: o nosso pai Audifax Rios. O sofrimento da vida, de forma mais generosa e inspirada, nosso pai transformou em arte. As suas pinturas tinham, muitas vezes, cores fortes e intensas, como se dos seus quadros a vida brotasse em toda a sua energia e esplendor. De outras vezes, os seus desenhos tinham traços grossos e de contrastes marcantes, como a xilogravura recortada na umburana bruta, para melhor simbolizar os sofrimentos e alegrias do seu povo.
Muito teríamos que falar do nosso pai como artista plástico, escritor, jornalista, editor, militante ativo de estéticas e éticas transformadoras, com grande importância artística na invenção de uma alma cearense e na afirmação da construção do nosso processo identitário. Aqui queremos falar da pessoa que amamos, do nosso pai querido, sempre tão amoroso e solidário. Se o homem nasce para se realizar através do amor, da amizade e da arte, podemos dizer que o nosso pai, nessa vida, realizou-se. A morte é apenas a completude dessa realização, imortalizando-o em nossas memórias e em nossos corações. Diante da impermanência de todas as coisas, ele afirmou a eternidade do amor.
Um amigo da nossa família contou-nos que, ao saber da morte do nosso pai, foi para casa, em estado de pesar e aflição. No prédio onde morava, com espantosa sincronicidade, encontrou um pequeno pássaro, que entrara por uma fresta, encolhido em recanto do corredor. Ele aproximou-se, o pássaro pousou no seu dedo, e ele pode levá-lo até a janela. Diante da amplidão, o pássaro ganhou os céus e voou até sumir entre as nuvens. Seria este acontecimento uma abençoada metáfora para acalentar os nossos corações inconsoláveis. Seria a vida este corredor estreito, e voo do pássaro a libertação do espírito que novamente reencontra o Amor de Deus, em sua infinita misericórdia? Da vida o que fica? O que fica é o tesouro que a traça não rói e a ferrugem não devora... O que fica é o intangível, o imaterial, o que se esconde no fundo da alma e podemos chamar de amor, solidariedade, amizade, beleza, gratidão...
O sertão é o território mítico e sagrado na vida e na arte do nosso pai. Na sua última crônica, publicada no dia 24 de abril, no jornal O Povo, ele escreveu comovido sobre a sua terra. Essa última crônica tinha o dom profético de uma carta de despedida. Não foi por coincidência que, para partir desse mundo, o nosso pai escolheu Santana do Acaraú, a sua querida Licânia - o mesmo lugar que o viu nascer. Em tudo a marca do sertão profundo e da infância mágica que ecoou em forma de arte e cores e poesias, até o último momento da sua vida. Morreu perto dos sentimentos mais profundos e dos mitos fundadores da sua vida. Assim, ele fechou o ciclo da vida, reencontrou a dimensão cósmica da sua reunião com Deus, na terra da bem aventurança. Morreu nos vastos prados do sertão sagrado.
Adeus, pai.
(*) Carta lida como despedida pelos filhos de Audifax.
Publicada In: O Povo, Vida & Arte, de 1º/05/2015.

Missa da Ressurreição por Audifax Rios



A família Audifax Rios convida demais familiares, admiradores  e amigos, para a missa de sétimo dia do artista plástico AUDIFAX RIOS, a ser oficiada em sufrágio de sua alma, hoje, dia 1º/05/2015, às 20h30min, na Igreja de Santa Luzia, situada na Rua Tenente Benévolo, esquina com João Cordeiro, no Bairro Praia de Iracema, Fortaleza-CE.
Marcelo Gurgel Carlos da Silva
Do Instituto do Ceará

quinta-feira, 30 de abril de 2015

O BRASIL ANEDÓTICO LXVIX


O ESPÍRITO DE PADRE ANSELMO
A. Cerqueira Mendes - "Figuras Antigas", vol. I.
O arcipreste da Sé de São Paulo, Joaquim Anselmo de Oliveira, era não só desabusado como espirituoso. Após uma vida acidentada, já na velhice, embarcou para o Rio de Janeiro afim de ser operado da catarata que lhe ia empanando a vista.
No dia seguinte ao da operação, Hilário de Gouveia, o operador, aproximou-se dele, que se achava de olhos vendados.
- Sente-se feliz? - perguntou.
- Muito! - retrucou o sacerdote. - E compreende bem que há razão para isso.
E prevendo o insucesso da intervenção cirúrgica:
- Vazam-me o olho por dois contos de réis! É barato!
 
O EMPREGO IDEAL
Moreira de Azevedo - "Mosaico Brasileiro", pág. 156.
Este episódio é dado, também, como ocorrido com Floriano Peixoto. Domingos Barbosa ("Silhuetas", pág. 46), e atribui, por sua vez, ao Conselheiro Gomes de Castro.
Era Álvares Machado presidente do Rio Grande do Sul em 1840, quando se apresentou em palácio um indivíduo de boas maneiras que lhe ia dar parabéns pela investidura e, ao mesmo tempo, pedir-lhe um emprego. Desejava, porém, que o lugar fosse de representação, bem remunerado e de pouco trabalho.
- Pois, não, meu caro senhor; pois, não, - prometeu o presidente. - O segundo que eu descobrir nessas condições será seu.
- O segundo? e por que não o primeiro?
E Álvares Machado:
- Porque, andando eu há muito tempo atrás de um emprego desses, o primeiro, naturalmente, será meu!

A ÚNICA REPÚBLICA: O IMPÉRIO
Múcio Teixeira - "O Imperador visto de perto", pág. 192.
Era Múcio Teixeira cônsul geral do Brasil na Venezuela, quando ali chegou a notícia da proclamação da República. Ao penetrar no palácio do governo, onde fora pedir o seu "exequatur", o presidente da Venezuela, dr. Rojas Paul, encaminhou-se para ele, dizendo:
- "Señor Consul Geral do Brasil, pida a Dios que su Patria, que ha sido gobernada durante medio siglo por un sabio, no sea de hoy por delante llevada por el tacón del primero tirannelo que el ejercito le presente".
E abraçando-o, comovido:
- "Se ha acabado la unica Republíc; que existia en America: el Imperio del Brasil!"

O MARIDO MINEIRO
Presenciado pelo colecionador.
Na sala de espera da Academia Brasileira de Letras, no "Petit Trianon", um visitante falava mal dos mineiros, em geral, e acentuava:
- Eu tenho tanta prevenção com mineiro, que, havendo uma sobrinha minha, a quem muito estimo, contraído casamento recentemente com um rapaz de Juiz de Fora, cortei inteiramente relações com ela. O mineiro tem todos os defeitos e o principal é furtar nos negócios em que se mete.
O general Lauro Müller, que se achava próximo, e que, como se sabe, era catarinense, não se conteve:
- Pois olhe, meu caro amigo, - interveio, mesmo sem conhecer o sujeito; - sabe de uma cousa? O senhor ainda vai ser muito amigo desse mineiro, porque fique certo que ele vai tratar muito bem a sua sobrinha.
- Eu, amigo de um homem que furta?
- Sim, senhor, - tornou Lauro Müller. Porque, o brasileiro, em geral, furta da família para lançar fora; ao passo que o mineiro, se furta, como o senhor diz...
E com entusiasmo:
- Furta para a família!
Fonte: Humberto de Campos. O Brasil Anedótico (1927).

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Missa de trigésimo dia por Edna Maria Furtado Arruda


A família Furtado Arruda convida familiares e amigos, para a missa de sétimo dia da Dra. EDNA MARIA FURTADO ARRUDA, a ser oficiada em sufrágio de sua alma, hoje, dia 29/04/15, às 19h, na Capela das Irmãs Missionárias, situada na Av. Rui Barbosa, 1.246, no Bairro Aldeota, Fortaleza-CE.
Marcelo Gurgel Carlos da Silva
Amigo da família Furtado Arruda
 

Free Blog Counter
Poker Blog