terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

NOTA DO CORECON-CE EM DEFESA DO BANCO DO NORDESTE



As últimas notícias veiculadas nos periódicos regionais, deixam senões acerca do futuro de um dos maiores bancos de desenvolvimento da América Latina, o BANCO DO NORDESTE DO BRASIL (BNB).
O BNB foi criado pela Lei nº1.640 DE 19.07.1952, sediado em Fortaleza, com missão diferenciada das demais instituições financeiras que desde sua fundação a cumpre - “Atuar como Banco de Desenvolvimento da Região Nordeste”.
Para efetivar seu papel de agente indutor do desenvolvimento regional conta com a capilaridade de 280 Agências, localizadas nas cidades nordestinas, norte de Minas e parte do Espírito Santo, das quais algumas situadas nos mais distantes rincões do semi-árido nordestino. O Banco conta ainda em sua estrutura com o ETENE cuja missão é “ Elaborar, promover e difundir estudos, pesquisas e informações socioeconômicas e avaliar políticas e programas do Banco do Nordeste, subsidiando a ação do BNB e da sociedade na busca do desenvolvimento regional sustentável.
Concordamos com posição espelhada em artigo publicado em janeiro de 2019 pela AFBNB-Associação dos Funcionários do Banco do Nordeste, “O BNB exerce um protagonismo econômico junto a diferentes setores da economia – agricultura, indústria, comércio, serviços, turismo, infraestrutura etc. – sendo o principal braço do Estado, enquanto instituição de fomento na região em que atua. Sua expertise, de quase 67 anos, promovendo o desenvolvimento regional o credencia, enquanto empresa séria que, ao contrário de ser ignorada deve ser reconhecida.
Os resultados positivos apresentados pelo Banco ao longo dos anos, seriam ainda mais eficazes se houvesse uma política macroeconômica de desenvolvimento nacional, com o suporte de um arcabouço institucional pensado para de fato superar as desigualdades entre as regiões e estimular as potencialidades locais. Não custa lembrar que órgãos que poderiam construir essa rede foram sucateados e/ou esvaziados de sua missão ao longo do tempo, a exemplo da Sudene, do DNOCs e da Codevasf.”
Ainda segundo artigo da AFBNB, os números mostram a força do BNB e a sua relevância para a política de desenvolvimento do País. Isto confirma ser a Instituição uma das mais relevantes para a superação das desigualdades regionais, devendo, portanto, ser fortalecida e reconhecida como tal, desconstruindo qualquer equívoco de privatização, incorporação, fusão ou qualquer outra medida que implique em seu desmonte.”
Vale registrar que o BNB em 2018 atingiu a marca histórica de R$ 41,4 bilhões emprestados com recursos do FNE – sendo R$ 30 bilhões do próprio FNE e o restante do CrediAmigo e AgroAmigo – microcrédito urbano e rural, respectivamente.
O Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste-FNE, foi criado em 1988 (artigo 159, inciso I, alínea "c" da Constituição da República Federativa do Brasil e artigo 34 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias) e regulamentado em 1989 (Lei nº 7.827, de 27/09/1989). O FNE é um instrumento de políticas públicas no âmbito federal viabilizado pelos diversos programas de financiamento aos setores produtivos, cujos recursos não são contingenciados em orçamento da União,
Os que representam o CORECON-CE entendem que todos os segmentos da sociedade precisam se imbuir de uma causa comum, “Defender a Valorização e Manutenção do BNB”, enquanto braço do Governo Federal na efetivação, dentre outras missões, a constitucional, via operacionalização dos recursos do FNE. 
Fonte: Corecon-CE, 13/02/2019.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

BRASIL: desigualdades


Por Luiz Gonzaga Fonseca Mota (*)
A despeito das raízes do passado, as causas das desigualdades no Brasil encontram-se, principalmente, nas limitações do processo de crescimento, nas tentativas fracassadas de ajuste econômico e nas consequências pouco vantajosas do processo de reestruturação econômica imposto pela globalização. Ao longo dos anos oitenta, o crescimento econômico brasileiro foi prejudicado em razão da crise gerada pela dívida externa, pelo progressivo déficit público e a consequente crise do Estado e da administração pública, além da inflação decorrente e das tentativas malsucedidas de estabilização econômica. Os resultados não poderiam ser outros que não o agravamento dos problemas sociais, pois cresceu o contingente de pobres e indigentes, acentuaram-se as desigualdades, tornando-se vulneráveis vários segmentos da sociedade. Os efeitos também se fizeram sentir no nível de desemprego em todo o País. O processo de urbanização foi muito veloz. Formaram-se então os chamados “cinturões de miséria” nas periferias das cidades, acentuando a má distribuição de renda e abalando o crescimento econômico do País. Na verdade, a perversa concentração de renda resulta no aumento do número de pessoas vivendo em situação precária, sem acesso às mínimas condições de saúde, educação e serviços básicos. Ademais, as desigualdades regionais persistem. O Nordeste, por exemplo, ao longo do tempo, continua com um terço da população brasileira e participa com apenas 13% a 14% do PIB. Faz-se necessária a realização de investimentos compatíveis com o peso demográfico, de natureza estrutural e não apensas circunstancial. Enquanto persistirem essas desigualdades significativas, o Brasil não deixará de ser um país socialmente injusto. Os brasileiros, democraticamente, esperam dias melhores, com eficácia administrativa (boa gestão) e sem corrupção.
(*) Economista. Professor aposentado da UFC. Ex-governador do Ceará.
Fonte: Diário do Nordeste, Ideias. 8/2/2019.

domingo, 17 de fevereiro de 2019

A CONSULTA PSIQUIÁTRICA E A NAMORADA BRAVA


Um homem foi a um psiquiatra porque estava tendo graves problemas com sua vida íntima. O psiquiatra fez-lhe muitas perguntas, mas não conseguiu identificar o problema de cara. Finalmente, ele perguntou: "Você olha para o rosto da sua parceira durante a relação?"
"Bem, sim, eu olhei uma vez".
"E como ela estava?"
"Ah, doutor, ela parecia muito irritada!"
Nessa hora, o psiquiatra sentiu que estava finalmente chegando a algum lugar.
"Bem, isso é muito interessante, vamos examinar mais afundo. Agora, me diga, você só viu o rosto da sua namorada uma vez durante o ato. Isso parece um pouco incomum. Como foi exatamente esta situação?"
"Bem... Ela estava nos observando pela janela."

VOSSA SANTIDADE, EU POSSO PERDER MEU EMPREGO...


Depois de arrumar toda a bagagem do Papa, o motorista reparou que este ainda se encontrava no exterior da limusine.
"Desculpe-me Vossa Santidade", disse o motorista, "Não se importa de ocupar o seu lugar para que possamos seguir?".
"Bem, para dizer a verdade", diz o Papa, "no Vaticano nunca me deixavam dirigir quando era Cardeal, como Papa ainda menos, e eu queria ver como é dirigir uma limusine!".
"Desculpe-me Santidade, mas não posso fazer isso. Perderia o meu emprego! E se acontecesse alguma coisa?" protestou o motorista, desejando não ter ido trabalhar naquela manhã.
"E quem é que vai contar?, diz o Papa com um sorriso.
Relutantemente, o motorista senta-se atrás, enquanto o Papa ocupa o lugar ao volante.
O motorista imediatamente se arrepende pois, mal deixam o aeroporto e o Papa pisa fundo, acelerando a limusine e alcançando 200 quilômetros por hora.
"Por favor, Santidade!", implora o preocupado motorista; mas o Papa continua empolgado na direção, com o pé no acelerador, até que se ouvem sirenes.
"Oh, meu Deus, vou perder a minha habilitação e o emprego!", soluçava o motorista.
O Papa encosta a limusine e abaixa o vidro quando o policial se aproxima;
Quando este olha para ele, regressa à moto e faz contato pelo rádio com a Central.
"Preciso de falar com o Chefe", informa ao operador.
O Chefe responde e o guarda diz-lhe que mandou parar uma limusine que seguia a 200 quilômetros por hora.
"Então aplique-lhe a multa", diz o Chefe.
"Acho que não vai dar pra fazer isso, o cara é muito importante", diz o policial:
O Chefe exclama, "Por isso mesmo, multa o sacana!"
"Não, é que é MESMO importante", insiste o guarda.
Então o Chefe pergunta, "Quem você tem aí, o Presidente da Câmara?"
E o policial: "Mais importante".
O Chefe: "Um deputado?"
Policial: "Mais importante".
Chefe: "Um senador?"
Policial: "Muito mais!"
Chefe: "Mas então quem é?!"
Policial: "Acho que é Deus!"
O Chefe fica atrapalhado, "E o que te leva a pensar que seja Deus?"
Policial: "É o motorista dele ... o Papa!"
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.

ESTE HOMEM PRECISA CONFESSAR UMA COISA...


Enquanto um homem estava prestes a dar seu último suspiro no leito de morte, sua esposa mantinha vigília à luz de velas ao seu lado.
Ela segurou sua frágil mão com lágrimas escorrendo pelo rosto.
Enquanto ela orava, ele despertou de seu sono.
Ele olhou para cima e seus lábios pálidos começaram a se mover ligeiramente.
"Minha querida", ele sussurrou.
"Silêncio, meu amor", disse ela. "Descanse, não fale."
Ele insistiu.
"Eu quero confessar uma coisa", disse ele com uma voz cansada.
"Não há nada para confessar", respondeu sua esposa chorosa. "Está tudo bem. Vá dormir."
Então o homem deixou escapar: "Não, não, eu devo morrer em paz. Eu dormi com sua irmã, sua melhor amiga, também com a amiga da sua melhor amiga e com a sua mãe!"
"Eu sei", sussurrou a esposa, "é por isso que eu te envenenei."
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.

sábado, 16 de fevereiro de 2019

A DISCUSSÃO ENTRE UM MÉDICO E SUA ESPOSA


Um médico e sua esposa estavam discutindo o relacionamento durante o café da manhã.
As coisas entre quatro paredes não iam bem já fazia algum tempo, então esse era o tema da briga.
“Você também não é grandes coisas na cama!” – ele grita e sai com raiva para o trabalho.
Ele começa a trabalhar e nenhum sinal de sua mulher.
No fim da manhã, ele decide ligar para casa para fazer as pazes.
Depois de muito o telefone chamar, sua esposa atende.
“Por que você demorou tanto tempo pra atender?”
“Eu estava na cama”, responde ela.
“Já está tarde, o que você estava fazendo na cama a essa hora do dia?”
“Eu estava recebendo uma segunda opinião.”
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.

OS MINEIROS SÃO NOSSOS FAVORITOS...


O mineirinho observava o engenheiro com o teodolito:
— Doutor, pra que serve esse treco aí?
— É que vamos passar uma estrada por aqui, estou fazendo as medições.
— E precisa desse negócio pra fazê a estrada?
— Sim, precisa. Vocês não usam isso pra fazer estrada não?
— Ah, não, home. Aqui quando a gente vai fazer uma estrada, a gente sorta um burro e vai seguindo ele. Por onde o bicho passar, é o mió caminho pra se fazer a estrada.
— Ahh, que interessante — respondeu o engenheiro. — E se vocês não tiverem o burro?
— Bem, daí a gente chama os engenheiro...
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

AOS VIVOS: Bunda de Parteira escapou, mas...... e outros causos


Bunda de Parteira escapou, mas...

E o VLT da Vila União, proximidades da Borges de Melo, já tem sua vendedora de churrasquinho de gato: Canela de Codorna, a enfezada. Loura oxigenada de 1,40 de altura, bem maguinha, tem uma coisa: pega ar se a chamarem pelo nome de batismo, verdadeiro insulto. Por conta disso, na contramão dos que se sentem ultrajados quando apodados, já mandou dois pro serviço de emergência do Frotão com “escoriações generalizadas na base da carambola esquerda”, de acordo com jornal de grande circulação.
Quem agora se mete a besta com ela é o bebim Bunda de Parteira. Por dose caprichada de pôde com um naco de queijo, topou o desafio de peitar Canela de Codorna, se a chamar pelo nome que lhe deram os falecidos pais. Com uma condição: não pode ter o mesmo destino dos outros dois que se arvoraram a fazê-lo e, testicularmente, tiveram por infeliz destino o maior hospital da municipalidade. Senão, nada de cana. E vem o Bunda se esgueirando pela Rua do Trilho, como quem não quer nada, querendo.
- Boa tarde, quer dizer, boa noite, Canela!
- Boa... Que é que tu quer, Bunda?
- Ganhar uma dose de cana...
- De graça, cana minha tu num bebe! Sabe disso!
- Né tu que vai dar não, bicha véa abusenta! É Zé Peixeiro!
- Vai disgotar fossa?
- Não, Curdulina Galdéria Mocororó de Sousa e Silva...
O caso foi parar na tenda milagreira de irmão Arquimedes. Pois quando o mestre diz, "tá dizido", ninguém discute. "Senão, entorta a boca"
Em tempo: o último boletim médico do Instituto Dr. José Frota informa que inspira cuidado o estado de saúde de um homem de estatura mediana por nome Antônio Messias Oliveira, que, capado, deu entrada ontem nesta unidade...
Um dedinho de paz
Vinte partidas e vinte e uma brigas. De tudo se fez para cessarem os cacetes entre os jogadores das equipes do Onze Veloz e do Palmeirinhas, do mesmo bairro. Rixa histórica. Futebol passava longe, ficavam mesmo os tabefes, facas, insultos. Vez ou outra, sequer a peleja começava e a moçada já se comendo na mão de peia no mato - vestiários. Padre entrou na parada; papa Francisco, solicitado, tinha mais o que fazer. Rapaz da ONU esteve no local. Nada. Delegado nem bateu o centro.
O caso foi parar na tenda milagreira de Irmão Arquimedes. Pois quando o mestre diz, “tá dizido”, ninguém discute. “Senão, entorta a boca”. Conhecedor da índole dos meninos e de suas famílias, propôs algo único em matéria de desarmamento de espíritos em campo – e nunca mais contendas e violências, porquanto são quase todos de uma mesma família: trocar as camisas dos jogadores. Atletas do Onze Veloz metidos nas blusas do Palmeirinhas, e vice-versa. Incômodo generalizado.
Times em campo, torcida na maior expectativa face ao estranho cometimento. Contudo, a ideia de irmão Arquimedes venceu. Somente por um exemplo podemos avaliar o comportamento do todo. Vestido de Palmeirinhas, o goleiro Lolô do Onze Veloz, sentindo falta de algo mais substantivo, apenas mordeu de leve o próprio cotovelo, mas conteve-se ao pensar em fazer no ponta-esquerda adversário (o grande Gusmão) aquilo que o zagueiro Rodrigo, da Ponte Preta, fez recentemente no atacante colombiano Tiago Tréllez, do Vitória, em jogo da 2ª Divisão do principal torneio nacional. “Nada de dedada, meu Deus! Me ajude! Totonho agora é meu brother!
Fonte: O POVO, de 2/2/2018. Coluna “Aos Vivos”, de Tarcísio Matos. p.2.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

AUTODECLARAÇÃO RACIAL VAZIA (Forma Grave de Corrupção)


Meraldo Zisman (*)
Médico-Psicoterapeuta
Parece-me que foi inventada mais uma mentira politicamente correta para preconceito. Lembro: investir contra o sintoma só faz adensar a vinculação que o causa. Vamos aos fatos.
O curso de Medicina é um dos mais procurados no Brasil. Destaque midiático aconteceu na considerada terceira melhor escola do país, a UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). As vagas especiais ofertadas perfazem 50% do total.
Detectou-se que um aluno de pele branca e cabelos claros autodeterminou-se preto, mulato, mestiço, etc., ou qualquer uma dessas colorações. Detectada a fraude, a reitoria da universidade pretende começar em breve um processo de divulgação do ocorrido em escolas públicas, além de fazer alertas para que alunos não cometam mais “a autodeclaração racial vazia”, termo criado pelo estabelecimento federal.
Promete a direção uma medida para evitar “enganos” dos candidatos, além da autodeclaração voluntária: exigir, dos postulantes a uma vaga por cotas raciais, uma carta formal na qual o candidato relate elementos que o levam a se reconhecer socialmente como negro, pardo ou índio. Não entendo como, em um país onde a miscigenação é a regra, é possível adotar um conceito biologicamente enganoso como ‘raça’.
Em pleno século XXI, quando o conceito de raça superior não encontra mais respaldo científico, teimam em aplicar esse suposto conceito de cotas raciais. Desde 1945 que diferenças insignificantes não esclarecem o conceito de raça. Um criador de Equino sabe que, na maioria das vezes, o cruzamento entre cavalos e asnos gera indivíduos inférteis. Pertinente voltar a esclarecer que estamos no século XXI. Vou repetir o que diz a ciência e qualquer criador de cavalos sabe:
Crias dos cruzamentos entre Equus caballus e Equus asinus são sempre inférteis. Equus caballus cavalo (macho) ou égua (fêmea). Equus asinus jumento (macho) ou jumenta (fêmea): jumento + égua = burro (macho) ou mula (fêmea). Cavalo + jumenta = bardoto (macho ou fêmea). Todos os resultados dos cruzamentos são inférteis.
A miscigenação racial no Homo sapiens (Humano) não é causa de infertilidade. No caso da maioria dos mamíferos, o importante é ter um ancestral comum, mesmo que os geradores sejam diferentes na aparência: cruzar um cão Buldogue com um Pastor Alemão (apesar das aparentes diferenças), gera filhotes que, quando atingem a idade fértil, novos filhotes produzirão. Desde 2010 a ciência sabe que o Homo sapiens tem DNA de outras espécies humanas. E que a origem do primata homo foi na África.
Enquanto não entendermos que a escravidão, extinta há mais de um século no Brasil, é um fator intrínseco da nossa formação, não poderemos melhorar a nossa condição psico-econômico-social e a violência persistirá. É preciso reinterpretar a história do Brasil tomando a escravidão como um dos mais importantes elementos que nos marca como Sociedade.
É óbvio que não podemos nos pautar apenas pela autodeclaração da raça. Fato similar ocorre no censo (IBGE), da população nacional. O cidadão é quem autodeclara a sua cor cutânea. Cor da pele não é subjetiva, depende da quantidade de melanina, que é o pigmento cutâneo, e não do que a pessoa acha.
E tem mais. Esclareço. Recordo.
Segundo a norma existente, ao responder o censo populacional você é quem diz qual a sua cor ou raça: negro, índio, mestiço, branco. Isso é uma maneira de não encarar a nossa realidade de sermos uma nação que acredita ser um país que teve uma escravidão branda e esquecer a cordialidade brasileira.
O termo negro é tão preconceituoso quanto as interpretações sociológicas datadas da década de 1930 ou 1940 quando o racismo imperava no Mundo. Nossa miscigenação é de tal ordem que conheço negros contrários à política de cotas raciais por entenderem que ela estimula o racismo. O Dia Nacional da Consciência Negra? Consciência tem cor?
Quando é que vamos entender que quando melhorarmos o ensino fundamental não vamos mais necessitar da expressão “autodeclaração racial vazia” ou dessas tais cotas raciais. A hipocrisia é uma das formas mais graves de corrupção.
(*) Professor Titular da Pediatria da Universidade de Pernambuco. Psicoterapeuta. Membro da Sobrames/PE, da União Brasileira de Escritores (UBE) e da Academia Brasileira de Escritores Médicos (ABRAMES). Consultante Honorário da Universidade de Oxford (Grã-Bretanha).

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

A BOLSA DE BOLSONARO


Pedro Henrique Saraiva Leão (*)
O presidente eleito não será operado para retirada da bolsa de colostomia, e sim o fechamento desta. Senão vejamos.
A exteriorização no abdômen de uma alça intestinal aberta, quando perfurada acidentalmente, denomina-se colostomia (de "cólons" = intestino grosso e "estoma" = boca). Pratica-se em operações eletivas (não emergenciais), ou, nesse caso, para superficializar feridas traumáticas nos cólons. Aqui pela contraindicação de sua costura (sutura) imediata, estando o abdômen já infectado por vazamento fecal.
Terminando intervenções cirúrgicas programadas, a colostomia em alça diz-se derivativa, pois desvia o trânsito intestinal protegendo área recém-suturada. Em ambas circunstâncias quer-se passageira, temporária, a ser fechada (retirada) após tempo variável.
Para que os dejetos digestivos não jorrem sobre a pele, coletamo-los em uma bolsa apropriada, sendo tal retirada, isto é, trocada sempre que repleta.
A abertura no intestino, assim como sua passagem por onde emerge (sai), serão ocluídas quando necessário, mediante suturas antes de sua devolução à cavidade abdominal.
Para tanto servem e comportam-se assim as colostomias efêmeras, transitórias, como a do presidente escolhido, ungido pelo povo brasileiro.
Ocasiões existem quando nos obrigamos a fazer uma colostomia definitiva, permanente. Disto são exemplos alguns casos de câncer do reto, e os traumatismos perineais mutilantes, acidentais, com avulsão (arrancamento) de sua musculatura esfincteriana.
A colostomia definitiva, onde o ânus é implantado no abdômen - também descrito como artificial, "contra natura", preternatural - costuma acarretar transtornos, físicos, funcionais e emocionais. Para bem preservá-los (acompanhá-los) fundamos em Fortaleza, em setembro de 1975, o primeiro Clube de Ostomizados do Brasil.
Recomendamos a leitura de nossas monografias "Colostomias & Colostomizados" EUFC, 1981, e "Síndrome pós-colostomia", 1989.
(*) Professor Emérito da UFC. Titular das Academias Cearense de Letras, de Medicina e de Médicos Escritores.
Fonte: O Povo, 13/12/2018. Opinião, p.20.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

FRASES E PENSAMENTOS DE VINICIUS DE MORAES I


7 “Não fazemos amigos, reconhecemo-los.”
8 “Quem já passou por essa vida e não viveu, pode ser mais, mas sabe menos do que eu…”
9 “A vida é a arte do encontro, embora haja tantos desencontros pela vida.”
10 “Quem de dentro de si não sai, vai morrer sem amar ninguém…”
11 “Por mais longa que seja a caminhada o mais importante é dar o primeiro passo.”
12 “Não há nada mais gostoso que um amor correspondido…”
Fonte: gingaronline.com

FRASES E PENSAMENTOS DE VINICIUS DE MORAES I


1 “Amar, porque nada melhor para a saúde que um amor correspondido.”
2 “Com as lágrimas do tempo e a cal do meu dia eu fiz o cimento da minha poesia.”
3 “Existem umas feias potáveis. Mas a maioria só serve mesmo para fazer sabão.”
4 “O uísque é o melhor amigo do homem. É o cachorro engarrafado.”
5 “Se o amor é fantasia, eu me encontro ultimamente em pleno carnaval.”
6 “A vida só se dá pra quem se deu.”
Fonte: gingaronline.com

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

A GRANDE PRIORIDADE


Por Luiz Gonzaga Fonseca Mota (*)
Concordamos com a ideia de que a educação deve ser proporcionada a todos por constituir um direito e uma condição para o pleno desenvolvimento da pessoa humana. Além de ser um direito, a educação também é um dos principais fatores do desenvolvimento dos países. É fundamental que as nações entendam, em primeiro lugar, que a educação não é um gasto, mas um investimento. Em segundo lugar, este é um investimento de médio e longo prazos que deve expressar o compromisso de gerações e ser elevado a um projeto do Estado Democrático. Deve-se buscar a articulação dos diversos atores sociais, somando esforços de governos, setores empresariais e trabalhistas e da sociedade em geral. Há uma correlação entre os níveis educacionais, cognitivos e comportamentais, das populações e o desenvolvimento dos países. Com a melhoria da mão de obra há mais atração de investimentos, qualificação de empregos e dinamização do consumo, gerando, assim, mais renda. Desta forma, o desenvolvimento passa a ser orientado a uma finalidade: o bem-estar humano. E, neste contexto, a educação já não é um meio de atingi-lo, mas um elemento dele constitutivo. Este entendimento levou à adoção da educação como um dos fatores na construção do conhecido IDH, adotado pela ONU. No Brasil, por exemplo, há um grande consenso em prol da educação quando se analisam os discursos das mais diversas lideranças políticas. Ao mesmo tempo a sociedade requer que os desafios colocados na educação sejam enfrentados com mais recursos financeiros e humanos. Resta, pois, o passo mais difícil- transformar a retórica em ações concretas e priorizar os investimentos na educação, nas múltiplas dimensões do acesso, da equidade e da qualidade. Este será o caminho do desenvolvimento equilibrado, com distribuição de renda e justiça social.
(*) Economista. Professor aposentado da UFC. Ex-governador do Ceará.
Fonte: Diário do Nordeste, Ideias. 1/2/2019.

domingo, 10 de fevereiro de 2019

A ESPOSA QUE QUERIA SER CRIANÇA NOVAMENTE


Um homem estava sentado na beira da cama, observando sua esposa se olhar no espelho. Como o aniversário dela estava próximo, ele perguntou o que ela gostaria de ganhar de presente.
"Eu gostaria de ter 6 anos novamente.", responde ela, ainda olhando no espelho.
Na manhã do seu aniversário, ele se levantou cedo, colocou algumas jujubas em uma tigela e depois a levou para um parque temático. Que dia! Ela pôde ir ao carrossel, tirolesa, montanha-russa e tudo que tinha direito.
Cinco horas depois, eles saíram do parque temático, pois a mulher tinha sua cabeça rodando e o estômago embrulhado. Ele então levou-a para o McDonald's, onde pediu um McLanche Feliz com batatas fritas extras e um milkshake de chocolate.
Foram, então, para o cinema, pediram pipoca, um refrigerante e seus doces favoritos. Que fabulosa aventura! Finalmente, foram pra casa e ela deitou na cama exausta.
O marido chegou perto da esposa e perguntou com carinho: "E então, querida? Gostou de ter 6 anos novamente?"
Seus olhos se abriram lentamente e ela respondeu: "Quando eu disse que queria ter 6 anos, eu me referi ao tamanho do meu manequim!"
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.

POR QUE DIABOS VOCÊ ME LIGOU A ESSA HORA?


– Que horas vai abrir a biblioteca? – perguntou um homem ao telefone.
Irritado, o bibliotecário se recompôs antes de responder.
– 9 da manhã. E o que você tinha na cabeça pra me ligar a essa hora? Está no meio da madrugada! – veio a resposta
– Abre só às 9 da manhã? – O homem perguntou com uma voz frustrada.
O bibliotecário começou a ficar com raiva.
- Você é surdo? Já falei que só 9 às da manhã. Por que você quer entrar na biblioteca antes das 9 da manhã?
- Então, na verdade não quero entrar. – Suspirou o homem. - Eu quero é sair!
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.

 

Free Blog Counter
Poker Blog