domingo, 23 de abril de 2017

FRASES E PENSAMENTOS DE PABLO PICASSO II


10 “Quando se diz obrigado, se dizem muitas coisas mais que vêm de muito longe e de muito perto, de tão longe como a origem do indivíduo humano, de tão perto como o secreto pulsar do coração.”
11 “A terra fez do homem o seu castigo.”
12 “A vida e os livros, as viagens e a guerra, a bondade e a crueldade, a amizade e a ameaça, fizeram mudar cem vezes o traje de minha poesia.”
13 “Eu sou o homem das lágrimas e dos protestos. Não posso destinar a prosa à luta e a poesia ao sofrimento. Parece-me que ambas podem ter o mesmo destino.”
14 “A timidez é uma condição alheia ao coração, uma categoria, uma dimensão que desemboca na solidão.”
15 “Assim trabalharemos com o passado, convictos de sua madura beleza e no mesmo caminho de honra, convictos das obras que outros escritores escreverão para outros homens que ainda não nasceram.”
16 “Não aprendi nos livros nenhuma receita para a composição de um poema; e, por minha vez, não deixarei impresso sequer um conselho, modo ou estilo para que os novos poetas recebam de mim alguma gota de suposta sabedoria.”
17 “Os deveres do poeta foram sempre os mesmos na história. A honra da poesia foi sair à rua. A poesia é uma insurreição. Não se ofende o poeta porque o chamam subversivo. A vida ultrapassa as estruturas e há novos códigos para a alma.”
Fonte: gingaronline.com

FRASES E PENSAMENTOS DE PABLO PICASSO I


1 “É tão difícil as pessoas razoáveis se tornarem poetas quanto os poetas se tornarem razoáveis. No entanto, quem ganha a partida é a razão, base da justiça, que deve governar o mundo.”
2 “É tão curto o amor e tão longo o esquecimento.”
3 “A pessoa certa é a que está ao seu lado nos momentos incertos.”
4 “A poesia é sempre um ato de paz. O poeta nasce da paz como o pão nasce da farinha.”
5 “O primeiro dever do humanista e a tarefa fundamental da inteligência é assegurar o conhecimento e o entendimento entre todos os homens.”
6 “A verdade é mais alta que a lua.”
7 “Cremos na paz e bateremos a todas as portas para alcançar o seu reino. Queremos a paz entre os homens, como os caminhantes esperam a água no caminho para restabelecerem a força perdida.”
8 “Escrever é fácil: você começa com uma letra maiúscula e termina com um ponto final. No meio você coloca as ideias.”
9 “As batalhas políticas têm sido inseparáveis da poesia. A libertação do homem passa às vezes pelo sangue, mas sempre pelo canto. O canto humano se enriquece diariamente em nossa grande época de martírio e de libertação.”
Fonte: gingaronline.com

sábado, 22 de abril de 2017

CONVITE: Lançamento do livro “A Praça”

Nanza (viúva), Melânia, Marcos, Henrique, Carlos e Lúcio (filhos) e família Soriano Aderaldo convidam para o Lançamento da 3ª edição do livro “A Praça”, em comemoração ao centenário de nascimento do autor Mozart Soriano Aderaldo.

Data: 22 de abril de 2017 (sábado).
Horário: 19h.
Local: Hall do Cine-Teatro São Luiz (Praça do Ferreira), em Fortaleza-CE.

CONVITE: Celebração Eucarística da SMSL - Abril/2017

A Diretoria da SOCIEDADE MÉDICA SÃO LUCAS (SMSL) convida a todos para participarem da Celebração Eucarística do mês de ABRIL/2017, que será realizada HOJE (22/04/2017), às 18h30min, na Igreja de N. Sra. das Graças, do Hospital Geral do Exército, situado na Av. Des. Moreira, 1.500 – Aldeota, Fortaleza-CE.
CONTAMOS COM A PRESENÇA DE TODOS!
MUITO OBRIGADO!

Marcelo Gurgel Carlos da Silva
Da Sociedade Médica São Lucas

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Morre o Professor Roberto de Carvalho Rocha, fundador do Colégio Christus


É com profunda tristeza que comunicamos o falecimento do educador, Roberto de Carvalho Rocha, nessa manhã, 21 de abril, aos 91. Ele era o fundador do Grupo Educacional Christus. O velório será realizado a partir das 15 horas, na Capela Christus, Filius Dei, onde, amanhã, às 8 horas, será realizada a missa de corpo presente. O enterro será no Cemitério Parque da Paz.
Um ensino de qualidade, aliado a uma boa formação moral. Essas sempre foram as preocupações principais do professor Roberto de Carvalho Rocha. Nascido em Fortaleza em 1925, Roberto de Carvalho cursou por cinco anos Teologia e Educação, na Universidade Católica de Washington, nos Estados Unidos e, após retornar ao Brasil, construiu em 1951 um dos mais respeitados e sólidos complexos de ensino do Ceará, o Colégio Christus.
Nossa solidariedade à instituição Christus, amigos e familiares.
Prof. Raimundo Arruda Bastos
Docente da Unichristus e membro da Sobrames/CE

Nota do Editor do Blog: Guardo boas lembranças do Professor Roberto de Carvalho Rocha, um homem de bem e cidadão exemplar, devotado à educação e ao catolicismo. Meus filhos Felipe e André fizeram a formação escolar no Colégio Christus. Ele participou conosco da feitura do livro sobre Dom Aloísio Lorscheider, tendo conferido um substancial apoio, pessoal e institucional, para a edição dessa obra.
Marcelo Gurgel Carlos da Silva
Presidente da Sobrames/CE

SORRIA, VOCÊ ESTÁ SENDO FILMADO!

Meraldo Zisman (*)
Médico-Psicoterapeuta
Foi a impressão que tive quando li a entrevista das páginas amarelas, na revista Veja (14.10.09), intitulada ‘Caixa-Preta na Cirurgia’, com o cirurgião paulista Dr. Ben-Hur Ferraz Neto.
Apesar de minha longa carreira profissional como pediatra e atualmente como psicoterapeuta, o estresse diuturno da/na atividade cirúrgica é de estremecer. O entrevistado trabalha em um dos principais hospitais brasileiros. Concordo quando afirma que, por mais que a tecnologia evolua, jamais será capaz de controlar todas as inúmeras variáveis envolvidas num ato cirúrgico.
Na verdade, inexiste ação humana capaz de garantir em 100% o êxito ou a segurança, e muito menos máquinas competentes para reproduzir a vida do paciente em tempo real, com a pulsação, o sangue correndo pelas veias do paciente e o movimento dos órgãos, isso sem falar da equipe cirúrgica.
Também estou de acordo com o entrevistado quanto à necessidade de o médico-cirurgião possuir uma personalidade resoluta, o que lhe permita tomar decisões instantâneas e criativas para salvar a vida do paciente, além dos atributos de conhecimento, treinamento etc. O que não abarquei foi a ênfase dada pelo entrevistado quanto ao valor da existência de uma caixa preta na sala de cirurgia!
Na aviação, tudo bem. Em geral, vários fatores estão envolvidos na queda de um avião, como erro humano, equipamento, condições atmosféricas etc. e os registros servem à profilaxia da repetição de acidentes semelhantes, apesar de não ressuscitar os mortos.
Verdades Transitórias
Já imaginou, leitor amigo, se o piloto colocasse em votação entre os comissários de bordo e os passageiros, se deve ou não realizar um pouso de emergência? Assim como o comandante de uma aeronave, um cirurgião trabalha com auxiliares de diferentes graus de conhecimento. Raros são os atos cirúrgicos em que não se necessite de ajudantes, todos sujeitos às mesmas condições de humanos. Ou será que o cirurgião, por ser cirurgião, não teria a mesma condição dos demais mortais? O cirurgião seria algum deus?
Como psicoterapeuta, tenho a impressão de que todos nós temos lá o nosso momento emocional capaz de influenciar a conduta profissional. Por outro lado, já imaginaram a sensação de um cirurgião — ao levantar os olhos do campo operatório e deparar com uma câmera ou outra geringonça com o letreiro: ‘Sorria, você está sendo filmado’? Isso não tornaria o trabalho ainda mais estressante? Como reagiria um cirurgião sabendo-se vigiado por um Big Brother?
Em lugar da caixa preta, não faríamos melhor se tratássemos o ‘narcisismo doentio que pode acometer um cirurgião ou qualquer outra pessoa’? Quando um familiar ou amigo meu tem de se submeter a uma cirurgia, prefiro não entrar na sala para que a equipe cirúrgica fique mais à vontade.
Esta entrevista terminou por lembrar-me a letra de um antigo samba do Billy Blanco (1924):
‘(…) Pra que tanta pose doutor? Pra que este orgulho…? O infarto lhe pega, doutor, e acaba essa banca.’
Graças a Deus, quem me socorreu, na hora do infarto, foi a ponte de safena. Gostaria de lembrar, para concluir, a todos (médicos e leigos): a medicina é a ciência das verdades transitórias…!
(*) Professor Titular da Pediatria da Universidade de Pernambuco. Psicoterapeuta. Membro da Sobrames/PE, da União Brasileira de Escritores (UBE) e da Academia Brasileira de Escritores Médicos (ABRAMES). Consultante Honorário da Universidade de Oxford (Grã-Bretanha).

quinta-feira, 20 de abril de 2017

CONVITE: Homenagens do Instituto do Ceará - “Efemérides Centenárias”

O Presidente do Instituto do Ceará (Histórico, Geográfico e Antropológico), médico e escritor Lúcio Alcântara, convida para a “Sessão Solene em Homenagem aos Sócios Centenários”, os quais, se vivos fossem, completariam cem anos de idade em 2017.
São eles, com os seus respectivos responsáveis pela saudação:
1. Mozart Soriano Aderaldo (nascido em 22/04/1917) - Expositor: Marcelo Gurgel Carlos da Silva.
2. João Hipólito Campos de Oliveira (nascido em 5/05/1917) - Expositor: José Eurípedes Maia Chaves Júnior.
3. Waldery Magalhães Uchoa (nascido em 16/08/1917) - Expositor: Antônio Cláudio Ferreira Lima.
4. Itamar Santiago Espíndola (nascido em 14/09/1917) - Expositor: Geová Lemos Cavalcante.
Data: 20 de abril de 2017 (quinta-feira).
Horário: 15h30min.
Local: Instituto do Ceará – Rua Barão do Rio Branco, 1.594 – Praça do Carmo, em Fortaleza-CE.
Contamos com a presença de todos!

quarta-feira, 19 de abril de 2017

DOIS EXEMPLOS

Por Luiz Gonzaga Fonseca Mota (*)
Os sentimentos de solidariedade e amor com vista à busca da felicidade e ao propósito da vida são muito importantes. Por outro lado, o ódio, a falsidade, a vaidade, a inveja e a ambição, dentre outros, são comportamentos incompatíveis com uma existência saudável. A rigor, devemos procurar o sentido da vida e não a vida sem sentido. Ademais, é mediante a oração e a meditação que se encontram estados mentais positivos e se afastam os negativos. O que somos é consequência do que pensamos e fazemos. O que recebemos decorre de nossa fé em Deus e da força da esperança. Nos campos do nosso coração devemos cultivar flores, para que elas exalem perfume visando alcançar aqueles que precisam de nós. Uma boa ação feita com prazer e desprendimento, é o menor caminho para chegar a Deus. Santa Madre Teresa de Calcutá dizia: "O fruto do silêncio é a prece; o fruto da prece é a fé; o fruto da fé é o amor; o fruto do amor é o serviço e o fruto do serviço é a paz". A verdade foi o principio básico da vida exemplar de Madre Teresa. São Francisco de Assis é outro exemplo importante. Com certeza, Francisco analisou e debateu a religião, a civilização e a sociedade, observando os valores espirituais. Invariavelmente, valorizou o diálogo, mediante as palavras simples, o amor, a caridade, a cautela nos julgamentos, a firmeza nas resoluções, a fidelidade nas obrigações, a humildade e a sabedoria. Podemos afirmar que a fé é o caminho da verdade e a razão é consequência do julgamento interior; unidas mostram o saber viver. Como seria bom se nos dias de hoje os líderes mundiais, bem como as pessoas que decidem e formam opinião seguissem os exemplos de Teresa e de Francisco.
(*) Economista. Professor aposentado da UFC. Ex-governador do Ceará.
Fonte: Diário do Nordeste, Ideias. 25/11/2016.

terça-feira, 18 de abril de 2017

SEM ORÇAMENTO NÃO DÁ!


Por Jesualdo Farias (*)
No dia 29 de março passado, a Câmara dos Deputados rejeitou a PEC 395/14 que autorizava universidade pública a cobrar por curso de pós-graduação lato sensu. A proposta obteve 304 dos 308 votos necessários para a sua aprovação. De acordo com o Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica (Confies), estão em funcionamento, em universidades públicas, pelo menos 1.112 cursos de especialização com mais de 40 mil estudantes matriculados.

No próximo dia 20 de abril, o Supremo Tribunal Federal deverá pôr fim a esta questão, que vem causando transtornos no ambiente universitário e em setores da sociedade que demandam esta modalidade de curso. Deve-se ressaltar que, no âmbito da sua autonomia, há décadas, universidades públicas ofertam cursos de especialização pagos. Os recursos arrecadados, além de custearem as suas despesas, na maioria dos casos destinam-se também ao pagamento de bolsas para estudantes carentes.
Instituições como a Academia Brasileira de Ciências, a Associação Nacional de Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior e a Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais defendem o autofinanciamento destes cursos. A manifestação favorável do STF não comprometeria a gratuidade para os cursos de graduação, mestrado e doutorado, assegurada pela Constituição.
Da mesma forma, os programas de residência e de formação de profissionais na área de ensino continuariam gratuitos. É bom lembrar que o orçamento das universidades públicas se destina a cobrir apenas as despesas dos cursos de graduação e pós-graduação stricto sensu, sendo impossível, especialmente no momento atual de grave crise econômica, custear despesas com cursos de especialização.
Caso o entendimento do STF seja pela inconstitucionalidade da cobrança, haverá um incalculável prejuízo, uma vez que, sem aporte financeiro, os cursos em vigor teriam de ser interrompidos. Por sua vez, novos cursos só seriam ofertados, pelas universidades públicas, após um improvável reajuste orçamentário.
(*) Secretário estadual das Cidades e professor titular da UFC.
Fonte: Publicado In: O Povo, de 13/04/2017. Opinião. p.10.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Convite lançamento de “POLICROMIAS – Volume 9”

 
A Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil, Coordenadoria do Ceará (AJEB-CE), convida para o lançamento de Policromias – Volume 9, livro que traz a participação de dezenas de autores, tendo por temática o perfil literário das grandes escritoras do Ceará.
A apresentação da obra e de seus participantes será feita pela escritora Dra. Graça Fonteles, da Academia Fortalezense de Letras.
Local: Academia Cearense de Letras / Rua do Rosário, nº 1, Centro, Fortaleza-CE.
Data: 18 de abril de 2017 (terça-feira) Horário: 9h30min.
Traje: Esporte fino.
Obs.: Participo da coletânea com a biografia da Profa. Elsie Studart.

domingo, 16 de abril de 2017

SÃO JOSÉ MOSCATI: médico e pai dos pobres


Giuseppe Moscati nasceu em Benevento, Itália, em 25/07/1880. Foi o sétimo dos nove filhos de Francesco Moscati e Rosa de Luca dei Marchesi di Roseto, ambos oriundo de famílias nobres e católicos praticantes.
Em 1884, a família Moscati mudou-se para Nápoles, cidade em que José Moscati passaria o restante de sua vida, porque seu pai fora promovido na carreira de magistrado. Aos oito anos, José fez a primeira comunhão, firmando, então, um encontro pessoal com Jesus na Eucaristia, que, ao longo de toda sua vida, tornou-se alimento espiritual diário, guiando toda a sua história. Aos dez anos, recebeu o sacramento da crisma.
Aos 17 anos, em sua fiel devoção à Virgem Maria e à Eucaristia, e já um adulto na fé, ele revelava seu amor para com os pobres e necessitados. Nessa idade, professou o voto de castidade perpétua. Não se sentia chamado à vida religiosa e tampouco ao sacerdócio, mas pressentia que seu caminho seria o de um leigo engajado na Igreja.
José Moscati era um jovem ativo participante da vida paroquial, com missa e comunhão diárias. Ele tinha uma grande compaixão pelos pobres, doentes e, notadamente, os incuráveis, aos quais buscava assistir em suas necessidades.
Depois de concluir o ensino fundamental em 1889, Moscati prosseguiu seus estudos na escola Vittorio Emmanuele Liceo, em Nápoles, terminando o ensino médio em 1897.
Em 1892, o seu irmão Alberto sofreu um traumatismo craniano incurável, decorrente de uma queda de cavalo durante o serviço militar, passando a sofrer ataques de epilepsia. A partir de então, Giuseppe passou a cuidar de Alberto, dispensando-lhe horas de seu dia a dia aos cuidados de seu irmão. Este cuidado despertou nele o interesse de estudar medicina, que cursou na Faculdade de Medicina da Universidade de Nápoles, diplomando-se em 1903, defendendo tese sobre urogenesis hepática. No seu curso médico destacou-se pelo empenho, pela inteligência, pela competência e pelo cuidado devotado aos enfermos.
A partir daí, o hospital, a universidade e a Igreja converteram-se no grande campo de suas atividades. Logo após diplomar-se, Moscati se juntou à equipe do hospital Riuniti Ospedali degli Incurabili (Hospital dos Incuráveis), em Nápoles, onde acabou se tornando administrador.
Durante esse tempo, ele continuou a estudar, e a realizar pesquisas médicas quando não exercia as suas funções no hospital. Ele se tornou respeitado e admirado pelo seu conhecimento científico e pela caridade para com os doentes, porquanto unindo ciência, fé e caridade, conquistou o coração de todos no hospital. A esse tempo, seu irmão Alberto morreu, o que lhe provocou enorme dor.
São José Moscati, em sua vida profissional, dedicou sua vida, inteligência, competência e amor para com aqueles doentes portadores de doenças incuráveis, levando conforto, amor e amizade àqueles que não possuíam mais esperança neste mundo. Ajudou inúmeros a morrerem em paz e na graça de Deus, confortando-os com a fé e com os recursos da medicina da época.
Já notabilizado por seu compromisso com seus deveres, ele ganhou também o reconhecimento público por suas ações no rescaldo da erupção do Vesúvio e 8/4/1906. Moscati supervisionou a evacuação do hospital localizado em Torre del Greco, a poucos quilômetros da cratera, que tinha entre os seus pacientes muitos idosos e paralíticos conduzindo-os para fora pouco antes do teto desabar devido a cinzas do vulcão.
Quando a cólera irrompeu em Nápoles em 1911, Moscati recebeu do governo local a incumbência de efetuar inspeções de saúde pública e de pesquisar as origens da epidemia e indicar as melhores formas de erradicá-la, o que ele fez com rapidez, expondo suas sugestões às autoridades da cidade, ações que implementadas debelaram o problema.
Em 1911, Moscati ingressou na Academia Real de Medicina Cirúrgica, e recebeu seu doutorado em Química Fisiológica. Em 1919, ele foi nomeado diretor de uma das escolas locais, onde também continuou a ensinar. Em 1922, foi dado a Moscati a libera docenza em Medicina Clínica, o que lhe possibilitou lecionar em instituições superiores de ensino.
Moscati foi um dos primeiros médicos napolitanos a experimentar a insulina no tratamento do diabetes. Além de seu trabalho como pesquisador e como médico, era responsável por supervisionar as instruções do Instituto de Anatomia Patológica de Nápoles, razão pela qual é considerado patrono dos patologistas. Ele representou a Itália em vários Congressos Médicos Internacionais.
Embora demandado por doentes de diferentes classes sociais, ele concedia, no entanto, preferência aos mais pobres e indigentes. Indubitavelmente, foi na prática da caridade para com os mais desvalidos que se evidenciou toda sua grandeza, fazendo jus ao título de “Médico e Pai dos pobres”, isto num tempo em que a ciência se afastava da fé.
José Moscati teve uma morte abençoada e serena, falecendo em casa, enquanto atendia alguns pacientes, na tarde de 12/04/1927. A notícia de sua morte encheu Nápoles de tristeza pela perda de um médico tão amado. Seu corpo foi inicialmente sepultado no cemitério de Poggio Reale, mas em 1930 foi exumado e reenterrado na igreja de Gesù Nuovo, onde uma pedra de mármore marca a sua sepultura.
Pouco tempo depois de sua morte, notícias de graças alcançadas através da intercessão de José Moscati se espalharam. Ele foi beatificado pelo Papa Paulo VI em 16/11/1975 e canonizado pelo Papa João Paulo II em 25/10/1987.
São José Moscati, médico que dedicou sua vida aos doentes incuráveis, aliviando seus sofrimentos e confortando seus corações, é um grande exemplo a ser seguido pelos que praticam a arte médica em um mundo hodierno cada vez mais laicizado.
Marcelo Gurgel Carlos da Silva
Da Sociedade Médica São Lucas
* Publicado In: Boletim Informativo da Sociedade Médica São Lucas, 13(104): 5, janeiro de 2017.

sábado, 15 de abril de 2017

PADRE PIO PARAVA BOMBARDEIROS NA II GUERRA MUNDIAL


Como o Padre Pio parava bombardeiros na Segunda Guerra Mundial em pleno voo!

O testemunho de um general que se converteu: na região de San Giovanni Rotondo, onde o santo vivia, jamais caiu uma bomba.


Pe. Pio (ao centro) entre soldados aliados após a II Grande Guerra.

Esta história extraordinária sobre o Padre Pio é contada pelo pe. Damaso di Sant’Elia, superior do convento de Pianisi, na Itália. O relato aparece formalmente na “Positio”, o documento oficial que expõe a defesa da canonização do famoso frade capuchinho agraciado com os estigmas da Paixão de Cristo.

Vários pilotos da aviação britânica e norte-americana, de várias nacionalidades e religiões diversas, que, durante a Segunda Guerra Mundial, depois de 8 de setembro de 1943, estavam na área de Bari para cumprir missões em território italiano, foram testemunhas de um fato fora do normal. No cumprimento de suas obrigações, alguns aviadores passaram pela região de Gargano, perto de San Giovanni Rotondo, e viram um ‘monge’ no céu que lhes proibia lançar bombas no local.
Em Foggia e na Apúlia quase toda houve bombardeios em várias ocasiões, mas, incrivelmente, na área de San Giovanni Rotondo (onde vivia o Padre Pio) não caiu jamais uma bomba. Testemunha direta deste fato foi o general da força aérea italiana, Bernardo Rossini, que, na época, fazia parte do Comando de Unidade Aérea junto com as forças aliadas.
O general Rossini me referiu que, entre os militares, falava-se de um ‘monge’ que aparecia no céu e fazia os aviões se retirarem. Muitos riam, incrédulos, diante dessas histórias, mas, devido à ocorrência repetida dos episódios, e sempre com diferentes pilotos, o general decidiu intervir pessoalmente: assumiu o comando de uma esquadrilha de bombardeiros para destruir um depósito alemão de munições que ficava justamente em San Giovanni Rotondo.
Todos estávamos extremamente curiosos para saber o resultado da operação. Por isso, quando a esquadrilha retornou, fomos de imediato encontrar o general, que, atônito, contou que, logo ao chegar ao local, tanto ele quanto seus pilotos viram no céu a figura do ‘monge’ com as mãos elevadas; as bombas se desprendiam sozinhas e caíam num bosque; e os aviões deram a volta sem qualquer intervenção dos pilotos.
Todos se perguntavam quem era aquele ‘fantasma’ a quem os aviões obedeciam. Ao ouvir dizer que em San Giovanni Rotondo havia um frade com estigmas, considerado santo pela comunidade, o general pensou que talvez fosse ele o ‘monge’ visto no céu e resolveu comprovar pessoalmente assim que fosse possível. Quando a guerra acabou, foi esta a primeira coisa que fez. Acompanhado de alguns pilotos, foi até o convento dos capuchinhos e, ao cruzar o limiar da sacristia, viu-se diante de vários frades, entre os quais reconheceu imediatamente aquele que tinha parado os seus aviões.
O Padre Pio se aproximou e, colocando a mão sobre seu ombro, disse: ‘Então era você que queria matar a todos nós?’. O general se ajoelhou diante do Padre Pio, que, como de costume, tinha lhe falado no dialeto de Benevento. O general, no entanto, tinha certeza de que o ‘monge’ lhe falara em inglês. Os dois se tornaram amigos e o general, que era protestante, se converteu ao catolicismo”.

Fonte: Positio III / 1, pág. 689-690

sexta-feira, 14 de abril de 2017

UM ANO DEDICADO A MARIA E À MARIOLOGIA

Por Vasco Arruda (*)
O teólogo marista Afonso Murad, no primeiro capítulo do livro “Maria, toda de Deus e tão humana: Compêndio de mariologia”, afirma: “Maria é uma figura importante no imaginário católico. Predomina o perfil da santa poderosa e bondosa, a mãe do céu, mas este não é o único. O estudo sobre Maria, que chamamos marialogia ou mariologia, visa ajudar os cristãos a descobrir outras dimensões da pessoa de Maria, especialmente a partir da Bíblia. Realiza uma reflexão teológica articulada com vários temas, como a Trindade, o culto cristão, a Igreja e a antropologia. Nesse espírito de humanidade e diálogo com o mundo faz-se uma marialagia que supere os equívocos do maximalismo e estimule o seguimento a Jesus, com Maria e inspirado nela” (p. 30).
Nessa semana o autor esteve em Fortaleza. Veio atendendo a convite formulado pela Arquidiocese. Nas palestras realizadas no Seminário da Prainha, em dois dias consecutivos, o teólogo abordou os temas: “Maria, peregrina na fé”; “Maria, a Mãe de Jesus – Um tema fascinante e polêmico”; e “Maria, toda de Deus e tão humana”. O evento deu início ao Ano Mariano, proclamado pela CNBB como celebração aos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida.
"O estudo sobre Maria, que chamamos marialogia ou mariologia, visa ajudar os cristãos a descobrir outras dimensões da pessoa de Maria".
O fato motivador é bem conhecido. Em 1717, três pescadores da Vila de Guaratinguetá, Domingos Martins Garcia, João Alves e Felipe Pedroso, saíram para pescar no rio Paraíba do Sul. Ao entrarem no barco, não tinham, certamente, noção do importante episódio que estavam prestes a protagonizar. Durante a pescaria, a certa altura, João Alves, ao recolher a rede de pesca, percebeu que, em vez de peixe, “pescara” o corpo de uma imagem sem cabeça. Faz uma segunda tentativa e, desta feita, sobe a tona a cabeça da imagem. Estava iniciada a saga daquela que seria, anos depois, declarada padroeira do Brasil, Nossa Senhora da Conceição Aparecida, ou, como é mais comumente chamada, Nossa Senhora Aparecida.
Ao longo de três séculos, a figura de Nossa Senhora Aparecida consolidou-se e ganhou um lugar central no coração e no imaginário de uma grande quantidade de católicos em nosso país. Prova disso é o número estarrecedor de fiéis que acorrem anualmente ao seu santuário na cidade de Aparecida, no estado de São Paulo. O santuário abriga, também, em suas instalações, a Academia Marial de Aparecida (AMA), fundada em 1985 e dedicada exclusivamente ao estudo da mariologia. A AMA conta com uma vasta biblioteca aberta a estudiosos e pesquisadores.
Em virtude dos diversos eventos programados para este ano, 2017 desponta como uma ocasião especialmente propícia a quantos queiram se iniciar ou se aprofundar no estudo desse tema quase inesgotável, conforme a conclamação de Afonso Murad ao iniciar sua palestra quinta-feira com as seguintes palavras: “Este ano mariano está sendo dedicado para a gente conhecer mais a Mãe de Jesus”.
(*) Psicólogo.
Fonte: O Povo, de 11/2/2017. Opinião. p.13.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

A FESTA DA RESSURREIÇÃO, A PÁSCOA DO SENHOR

Por Pe. Reginaldo Manzotti (*)
Neste mês de abril celebramos a Festa da Ressurreição, a Páscoa do Senhor. Em Hebraico a palavra “páscoa” significa passagem, para o povo hebreu foi a passagem da escravidão para a liberdade, para nós a Páscoa é celebrada como a passagem da morte para vida.
A Páscoa é celebrada em data móvel, comemorada no primeiro domingo após a lua cheia do equinócio de março. Para muitos a Páscoa não passa de um “feriadão”, e as propagandas, a mídia, dão a versão secular desta data um significado apenas comercial e não religioso. Para os cristãos católicos, a Páscoa é a festa mais importante do calendário litúrgico, até mesmo que o Natal, porque a ressurreição de Cristo é o fundamento, a fonte, o sentido da fé cristã. Como nos diz São Paulo: “Se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé” (ICor 15, 14).
Efetivamente, Cristo se entregou por nós e, com sua morte na cruz, nos livrou do pecado e nos reconciliou com Deus. Por sua ressurreição as portas do céu nos foram abertas. Cristo ressuscitou para que todo aquele que n’Ele crê tenha a vida eterna.
A vitória de Cristo sobre o pecado e a morte está totalmente explicitada na sua ressurreição.
Com muita solenidade a Igreja se prepara para a celebração da Páscoa com o Tríduo Pascal, que é a celebração do sofrimento, morte e ressurreição de Jesus Cristo, em uma única celebração que se inicia na Quinta-feira Santa com a Missa da Ceia do Senhor, que faz memória da Instituição da Eucaristia. Segue na Sexta-feira Santa com a Paixão do Senhor e termina no sábado com a Vigília Pascal. No domingo como o ponto alto da realização de nossa redenção, celebramos a Páscoa da Ressurreição.
Jesus Cristo ressuscitou no “primeiro dia da semana” e, a partir de sua ressurreição, tudo muda de sentido, por isso a Igreja católica tem o Domingo como o dia do Senhor.
O sepulcro vazio é o maior símbolo da ressurreição. Também temos outros símbolos pascais que nos remetem à mensagem da vida nova. Alguns mais antigos, como o peixe. Estilizado, foi um símbolo muito importante para os primeiros cristãos. A borboleta: surge depois que a lagarta se transforma e sai do casulo para uma nova vida. O pelicano: simboliza o sacrifício de Cristo na Cruz.
E outros mais conhecidos, como o cordeiro, que simboliza Cristo, o Cordeiro de Deus. O trigo e a uva: Cristo usou o pão e o vinho na Última Ceia para ficar em alimento com os seus até o fim, na Eucaristia. O girassol: está sempre voltado para o sol. Ovos de páscoa: simbolizam uma nova vida. O Círio Pascal: é o símbolo de Cristo Luz do mundo. A cruz: não como símbolo de sofrimento, mas como símbolo de salvação.
Portanto, procuremos viver o real significado desta festa, na força ressuscitadora do Cristo que vive para sempre, na alegria de uma vida plena e sem fim.
(*) Fundador e presidente da Associação Evangelizar é Preciso e pároco reitor do Santuário Nossa Senhora de Guadalupe, em Curitiba (PR).
Fonte: O Povo, de 3/4/2017. Espiritualidade/Opinião. p.17.

quarta-feira, 12 de abril de 2017

FELIZ SEMANA SANTA - 2017


Marcelo Gurgel Carlos da Silva
Paroquiano de São Vicente de Paulo 

terça-feira, 11 de abril de 2017

Solenidade em Comemoração aos 300 Transplantes de Medula Óssea


A Diretoria de Ensino e Pesquisa do HEMOCE convida a participar da solenidade em comemoração aos 300 Transplantes de Medula Óssea realizados no Estado do Ceará, UFC-HEMOCE/SESA/Governo do Estado.
Algumas personalidades serão homenageadas, dentre elas, a Acadêmica, Dra. Profª Maria Helena Pitombeira.
Atenciosamente,

Vânia Barreto A. Ferreira Gomes
Diretora de Ensino e Pesquisa do HEMOCE

PEDOFILIA


Meraldo Zisman (*)
Médico-Psicoterapeuta
A sociedade, como tudo que a envolve - crianças, adolescentes, cultura, sexo e religião - faz do assunto pedofilia uma matéria sensacionalista. Por sua vez, a mídia reflete o que o público deseja assistir. Este é seu papel e dever: vigiar, informar, denunciar. Como todos os atos e engenhos humanos, ela possui falhas e virtudes. No meu entender, porém, sem liberdade de imprensa morreremos todos por asfixia.
Quando o caso é o celibato da Igreja Católica Romana (do qual não sou defensor por razões, até, fisiológicas) e a pedofilia, nada me impede, como um psicoterapeuta de origem judaica, de não enxergar alguma relação entre padres portadores deste distúrbio e, muito menos, de entender a comparação desastrada desta patologia com o preconceito anti-judaico.
Preconceito este que levou à Inquisição, aos pogroms (palavra russa que significa "causar estragos, destruir violentamente”. Historicamente, o termo se refere aos violentos ataques físicos das populações europeias contra os judeus, tanto no império russo quanto em outros países), e que culminou com o Holocausto.
Dado às minhas raízes judaicas, eu considero um absurdo a comparação que se faz, atualmente, à Igreja Católica, associando as críticas aos padres pedófilos com as ações dos antissemitas contra o povo hebreu. Quem assim pensa desrespeita tanto as crianças abusadas sexualmente, quanto os seis milhões de judeus que foram mortos e queimados nos fornos crematórios nazistas.
Dito isto, aviso a quem me lê, agora, e não me conhece. Exerço a Pediatria e a Psicoterapia, há mais de 50 anos e lembro ser ela um transtorno de personalidade e de preferência sexual que se caracteriza pela escolha sexual por crianças, quer se trate de meninos ou meninas, geralmente pré-púberes ou no início da puberdade. Conferir: CID-10 - Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde -, Organização Mundial de Saúde (OMS).
O DSM-IV (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorder) utiliza a classificação dos transtornos mentais da Associação Americana de Psiquiatria, que condiciona o diagnóstico deste transtorno mental às pessoas com idades de 16 anos ou 17 anos que são, pelo menos, 5 anos mais novas do que as crianças abusadas.
O portador de tal perturbação tem pensamentos e fantasias eróticas repetitivas, ou atividade sexual com crianças menores de 12 ou 13 anos de idade. A pedofilia está comumente associada a casos de incesto: a maioria dos casos envolve pacientes da mesma família (pais/padrastos com filhos e filhas). Via de regra, o ato pedófilo consiste em toques, carícias genitais e sexo oral, sendo a penetração menos comum.
Com a expansão da internet, tem sido mais frequente a presença de pedófilos que apreciam fotos de crianças, com a finalidade de se excitar e/ou se masturbar. No meu entender, a história da pedofilia não deve incluir, apenas, o escândalo dos padres católicos (0,6% dos clérigos). Tampouco na falsa associação com o Holocausto, ou no esquecimento deste. Solicito uma trégua. Não escrevo esta crônica para me indignar. Tento contribuir para o debate do momento, com observações sugeridas pela Psicopatologia e pela clínica de Pediatria. Voltarei ao assunto... Se me permitirem.
(*) Professor Titular da Pediatria da Universidade de Pernambuco. Psicoterapeuta. Membro da Sobrames/PE, da União Brasileira de Escritores (UBE) e da Academia Brasileira de Escritores Médicos (ABRAMES). Consultante Honorário da Universidade de Oxford (Grã-Bretanha).

segunda-feira, 10 de abril de 2017

REFORÇO NO COMBATE AO CÂNCER

Pedro Meneleu (*)
O Instituto do Câncer do Ceará (ICC), com os seus 72 anos de vida, se tornou o maior centro de referência no combate ao câncer do Norte e Nordeste. Muito nos orgulha esse título. São mais de 23 mil atendimentos por mês, sendo 70% deles dedicado exclusivamente a pacientes do SUS; mais de mil colaboradores em diversas áreas; 81 residentes; 150 médicos; 300 voluntários, e uma equipe multiprofissional composta por enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos e assistentes sociais, além de mantermos a Escola Cearense de Oncologia (ECO), voltada ao ensino e à pesquisa, e a Casa Vida, que abriga pacientes carentes do Interior para tratamento na instituição.
Mas ainda existe uma demanda reprimida no Estado, e reafirmamos aqui o compromisso de diminuí-la com a ampliação de um novo Anexo para o Hospital Haroldo Juaçaba (HHJ), que duplicará a capacidade de assistência. Serão 269 novos leitos de internação, que, adicionados aos 150 existentes, totalizarão 419 leitos para o complexo; 91 pontos de aplicação de quimioterapia, que, adicionados aos 69 existentes, resultarão em 160 pontos; 11 novos consultórios; 658 vagas para estacionamento; tudo isso distribuído em 28.000m².
Com a estrutura de 10 andares, com o subsolo, a nova obra se conectará com o complexo existente, dividindo serviços e aumentando a oferta de leitos de internação e de aplicação de medicamentos quimioterápicos, sendo esta última a que possui maior demanda. O atendimento funcionará 24 horas, em caráter de Pronto-Atendimento Oncológico, composto de novas áreas de apoio ao diagnóstico, triagem, espera, ambulatórios, dentre outros. Sem dúvida, uma das maiores obras em prol da saúde em andamento no Brasil.
Mesmo em tempos adversos, o ICC não desistiu de expandir. Com um modelo de gestão organizado, pautado em encontrar resultados e soluções visando ao nosso maior patrimônio: o paciente oncológico; temos alcançado melhoria tecnológica, integralidade, agilidade no tratamento, sem nunca perder o atendimento humanizado, nossa maior característica.
(*) Superintendente geral do Instituto do Câncer do Ceará (ICC).
Fonte: Publicado In: O Povo, de 8/04/2017. Opinião. p.20.

domingo, 9 de abril de 2017

Programação da Semana Santa na Paróquia São Vicente de Paulo - 2017

Ressuscitei, ó Pai, e sempre estou contigo:
pousaste sobre mim a tua mão, tua sabedoria é admirável".

“Mais que comum dos dias,
olhei o mais que pude os rostos
dos pobres, gastos pela fome,
esmagados pelas humilhações,
e neles descobri teu rosto, 
Cristo Ressuscitado!”
Dom Hélder Câmara

PROGRAMAÇÃO
10/04/2017 (segunda-feira): Celebração Penitencial: confissões individuais das 18h30 às 22h.
11/04/2017 (terça-feira): Celebração Penitencial: confissões individuais das 18h30 às 22h.
12/04/2017 (quarta-feira): Celebração Penitencial: confissões individuais das 18h30 às 22h.
13/04/2017 (quinta-feira): Missa da Ceia do Senhor (Lava-pés). Transladação do Santíssimo Sacramento às 19h.
14/04/2017 (sexta-feira): Solene Comemoração da Paixão e Morte do Senhor, às 15h.
15/04/2017 (sábado): Solene Vigília Pascal às 18h.
16/04/2017 (domingo): Procissão do Cristo Ressuscitado às 6h.
Feliz Páscoa a todos!
Nota: Por motivo de viagem à Salvador, em 13/04/17, não poderei, excepcionalmente, participar das celebrações paroquiais vicentinas, o que farei na urbe soteropolitana.
Marcelo Gurgel Carlos da Silva
Paroquiano de São Vicente de Paulo

 

CONVITE: XI Semeando Cultura da Sobrames-CE


A Diretoria da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores – Regional Ceará (Sobrames-CE) convida para o 11º SEMEANDO CULTURA, evento bimestral promovido pela Sobrames-CE, a realizar-se no dia 10/04/2017, às 19h30, no Espaço Cultural Dra. Nilza dos Reis Saraiva, na Av. Rui Barbosa, n° 1.880, Aldeota.
O palestrante do evento será o médico, farmacêutico e advogado Dr. José Mauro Mendes Gifoni, que abordará o tema: JUDICIALIZAÇÃO DA MEDICINA.
Contamos com a nobre participação dos colegas, amigos e familiares neste aprazível momento cultural.
Dr. Marcelo Gurgel Carlos da Silva
Presidente da Sobrames-CE

sábado, 8 de abril de 2017

AMOR x BEBIDA


Fonte: Circulando por e-mail (internet). Montagem sem autoria explícita.

CORNO TERCEIRIZADO


Chargista: Edra?
Fonte: Circulando por e-mail (internet).

sexta-feira, 7 de abril de 2017

ELASTICIDADE



Por Luiz Gonzaga Fonseca Mota (*)
Tentaremos mostrar neste pequeno espaço, apesar das dificuldades, dentro do possível, sem a utilização de fórmulas matemáticas e de gráficos ilustrativos o conceito básico de elasticidade na Economia. Usado muito no estudo da demanda de um produto, os formuladores de políticas utilizam também em vários outros assuntos. Por exemplo, renda, oferta, taxa de câmbio (exportações, importações e movimento de capitais), taxa de juros (poupança e investimento), etc. Elasticidade, a rigor, é o tamanho do impacto que a modificação em uma variável pode afetar outra, "coeteris paribus”. O melhor sinônimo de elasticidade é sensibilidade, pois uma variável elástica (maior que 1) reage a mudanças de outras variáveis; já a inelástica (menor que 1) pouco responde. Respectivamente, exemplificando, “filet mignon” (demanda elástica) e sal de cozinha (demanda inelástica), ao se analisar a elasticidade preço da demanda. Ademais, a representação gráfica da curva de demanda, no sistema cartesiano, no 1º quadrante, é descensional da esquerda para a direita, estando os preços no eixo das ordenadas (vertical) e as quantidades no eixo das abscissas (horizontal). Podemos citar fatores determinantes que influenciam a procura de um bem em razão de uma variação no seu preço. Eis alguns: essencialidade, concorrência (monopólio, duopólio e oligopólio), crédito, política tributária, etc. Diante do exposto desejamos ressaltar a importância do conceito de elasticidade, em vários assuntos econômicos, com vistas à definição de uma política de equilíbrio geral.
P.S. - É bem melhor escrever e ler poemas do que temas de Economia.
(*) Economista. Professor aposentado da UFC. Ex-governador do Ceará.
Fonte: Diário do Nordeste, Ideias. 28/11/2016.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

A LUZ DO PALÁCIO

Por João Soares Neto (*)
Na noite de segunda, 6 de fevereiro de 2017, com a lua crescente, o velho palácio de tijolo e argamassa, estava redivivo no seu esplendor. Nada mexeram na estética original. A soergueram do quase arcabouço de 1771 com o zelo e a acurácia de José Augusto Bezerra-JAB, duplo de administrador e bibliófilo.
Tudo começou há muitos anos, quando se discutia o estado calamitoso da Casa. Éramos Regina Fiuza, Olímpio Rocha e este escriba. Fomos cavoucar plantas, projetos, documentos, certidões, inertes. Daí há longo caminho, ontem concluído com solenidade grada comandada por JAB. Ele descreveu a sua epopeia. Viagens a Brasília, encontros com equipes multidisciplinares, obras, verba curta e a tenacidade de José, carpinteiro e artífice de cada detalhe restaurado.
A (Rua) Sena Madureira, militar e escritor, autor de “Guerra do Paraguai”, foi testemunha da subida. Pela porta e escada recuperadas, dos convidados e homenageados, a partir do Governador Camilo Santana.
Os corredores e o auditório principal, encimado por candelabro, realçavam o painel de Raimundo Cela, em júbilo à Abolição da Escravatura no Ceará. Do lado direito ficaram os acadêmicos. Do lado esquerdo, homenageados e famílias. Mesa ilustre e plateia plenas faziam crer que a Academia Cearense de Letras é ainda o estuário dos poetas, contistas, cronistas e romancistas, em tempos robóticos. A Camerata da Unifor sonorizou Alberto Nepomuceno e o grupo “Verso de Boca”, do poeta Roberto Pontes, fez recital prazeroso. Após comendas e discursos, ágape. A lua alumiava tímida chuva. Há esperança no Ceará.
(*) João Soares Neto é escritor e membro da Academia Cearense de Letras.
Fonte: Publicado no jornal Diário do Nordeste, Ideias, 11/02/17.
 

Free Blog Counter
Poker Blog