quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

CONVITE – Lançamento de SURSUM CORDA: corações ao alto



A Diretoria da SOCIEDADE MÉDICA SÃO LUCAS (SMSL) convida para o lançamento do livro “SURSUM CORDA: corações ao alto”, cuja renda será revertida para as ações sociais e evangelizadoras da SMSL.
O livro, de autoria do Professor Marcelo Gurgel Carlos da Silva, médico integrante da SMSL, será apresentado pelo médico e ex-presidente da SMSL Dr. Janedson Baima Bezerra.
Data: 15 de dezembro de 2018 (sábado), às 10h, logo após a celebração eucarística.
Local: Auditório do Edifício-Sede da Unimed Fortaleza, na Av. Santos Dumont, 949.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Solenidade de Posse de novos sócios e confraternização natalina da Sobrames/CE

Mesa Diretora da posse dos novos sobramista de 2018
Aconteceu ontem, dia 10 de dezembro de 2018, às 19h30, no Auditório da Unichristus, em Fortaleza-CE, a festa de Confraternização Natalina e a Posse de quatro novos membros da Sobrames-CE. A saber: Álvaro Madeiro, Márcia Alcântara, Wilcar Gondin e Tiago Studart.
Marcelo Gurgel, ao lado dos novos sobramistas recém-empossados.
A solenidade foi presidida pelo Presidente da Sobrames-CE, Dr. Marcelo Gurgel. Participaram do evento inúmeros sobramistas, familiares e amigos.


Os novos membros foram saudados pelo sobramista Dr. Francisco Gondim e a Dra. Márcia Alcântara falou pelos sobramistas empossados. 
O sobramista Arruda Bastos fez uma apresentação sobre o próximo Congresso Nacional da Sobrames, que será em Fortaleza-CE em 2020.
No final, foi servido um coquetel.
Fonte: Postagem do Blog da Sobrames/CE

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

MOBILIDADE COMPROMETIDA


Com o sugestivo título "Beco sem saída", o jornalista Eliomar de Lima, em sua conceituada coluna, publicada em O POVO, de 16/10/18, noticiou que "moradores de condomínio, lojistas e clientes de pontos no entorno da obra do VLT ficaram sem retorno para o acesso a essa via. O mais próximo fica a 1,5 km, perto da avenida Santana Júnior. Cobram solução da engenharia do trânsito.".
Essa nota vem ao encontro do clamor de muitos cidadãos que circulam nas imediações da confluência das avenidas Pontes Vieira e Virgílio Távora, no Dionísio Torres, mercê da desconsideração de gestores municipais, que não atentam direito de mobilidade.
Com o prolongamento da av. Virgílio Távora à av. Pontes Vieira tornou-se uma via de intenso tráfego. Aberturas para conversão existentes no canteiro central foram obliteradas, obrigando aos que se dirigiam ao Centro e bairros adjacentes a se fazer um retorno entre 200m a 300m, a partir dessa extensão, a atual av. Dr. Edmilson Barros de Oliveira.
Assim, há alguns poucos anos, os motoristas que precisassem passar do lado par (para o ímpar da av. Pontes Vieira tinham quatro opções. Uma à direita, entrando por uma colateral da Via Expressa, e ingressando na rua Vicente Leite, cruzando os trilhos, e se conectando à av. Pontes Vieira. As outras eram três conversões permitidas no curso da av. Dr. Edmilson Barros de Oliveira.
Com o andamento das obras do VLT, primeiro, fecharam o acesso pela rua Vicente Leite, e, em seguida, impediram qualquer retorno pelo canteiro central das duas primeiras conversões mais próximas ao viaduto e, por fim, colocaram uma placa de conversão proibida na terceira.
Essas descabidas medidas trouxeram inegáveis prejuízos, tanto aos moradores da área como aos que trabalham ou necessitam de serviços do Hospital São Carlos e da Secretaria Estadual do Meio Ambiente.
Os malefícios são de ordem econômica, com maiores gastos em combustíveis, e imateriais, com a perda de tempo no trânsito, impactando na qualidade de vida do cidadão, tão onerado pelos tributos municipais e igualmente despojado do cuidado público.
Diante do exposto, apela-se para a sensibilidade dos gestores municipais, e reclama-se a pronta reabertura de, pelo menos, uma das conversões em foco.
Marcelo Gurgel Carlos da Silva 
Médico e economista
* Publicado In: O Povo. Fortaleza, 8 de janeiro de 2018. Caderno A (Opinião). p.24.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

CONVITE: Posse de novos sócios e confraternização natalina da Sobrames/CE - 2018


A Diretoria da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores – Regional Ceará convida para a Posse de novos sócios e confraternização natalina da Sobrames/CE de 2018.
A saudação aos novos empossados será feita pelo escritor e médico Dr. Francisco Gondim e o discurso de agradecimento dos novos sobramistas será proferido pela também escritora e médica Dra. Márcia Alcântara, pneumologista e membro titular da Academia Cearense de Medicina.
O espírito natalino estará presente na seleção de músicas executadas pela tecladista Nunes.
Local: Auditório térreo da Unichristus – Unidade Parque Ecológico.
Av. Padre Antônio Tomás, 3.404 - Cocó.
Data: 10 de dezembro de 2018 (segunda-feira) Horário: 19h30.
Traje: Esporte fino.
Após o evento será servido um coquetel patrocinado pela Sobrames/CE.

JUSTIÇA DEMOCRÁTICA


Por Luiz Gonzaga Fonseca Mota (*)
A democracia moderna baseia-se em um sistema de instituições construídas na expectativa de garantir a representatividade e a legalidade das decisões políticas. Entretanto, infelizmente, constatamos que este equilíbrio institucional tem sido seriamente desvirtuado. Um olhar acurado sobre o relacionamento dos poderes constituídos torna este desequilíbrio de fácil constatação e a confirmação de que as instituições democráticas não estão cumprindo o seu papel de canalizar as demandas da cidadania. Existe um fenômeno mundial de agigantamento do Poder Executivo que reduziu o Legislativo a um papel secundário e homologador das decisões provindas daquele poder. A perda de autonomia do parlamento, em todo o mundo, deu oportunidade ao incremento da corrupção nos sistemas políticos. Denúncias de favorecimento são constantes. Partidos tornaram-se máquinas de arrecadação de fundos, usados nem sempre de forma transparente. Neste contexto de baixa representatividade e legitimidade não causa surpresa o desejável crescimento institucional do Judiciário. Um Judiciário forte, capaz de garantir a legalidade e legitimidade constitucional é algo necessário à boa saúde do sistema político. Por outro lado, um Judiciário intimidado em seu papel de defensor da ordem legal abre a chancela para a arbitrariedade de quem esteja ditando a agenda política. Com o Judiciário fraco, qualquer controle legal e constitucional se torna pouco crível. Precisamos recuperar, no mundo, a superioridade moral de nossos regimes democráticos. Para tanto, é desejável que o Poder Legislativo resgate sua capacidade deliberativa e representativa, e que o Poder Judiciário garanta a ordem legal e constitucional. É preciso também que as democracias realmente atendam às demandas da cidadania, seja em termos sociais, econômicos e políticos. Viva a Democracia.
(*) Economista. Professor aposentado da UFC. Ex-governador do Ceará.
Fonte: Diário do Nordeste, Ideias. 30/11/2018.

domingo, 9 de dezembro de 2018

Eu Passaria Minhas Últimas 4 Semanas Com Minha Sogra


Um grupo de estudos bíblicos falava sobre o que fariam caso sua morte fosse iminente.
O líder da discussão disse: "Se todos soubéssemos quando morreríamos, nos prepararíamos e usaríamos melhor o nosso tempo antes do evento".
Todos concordaram com o comentário.
Então o líder disse ao grupo: "O que vocês fariam se soubessem que só têm quatro semanas de vida antes da sua morte e ou do grande dia do Juízo Final?"
Um cavalheiro disse: "Eu sairia pela minha comunidade espalhando o Evangelho para aqueles que ainda não aceitaram o Senhor em suas vidas".
"Muito bom", disse o líder do grupo, e todos os membros do grupo concordaram que seria uma coisa muito boa a fazer.
Uma senhora falou com entusiasmo: "Eu dedicaria todo o meu tempo restante a servir a Deus, minha família, minha igreja e meu próximo com caridade".
"Isso é maravilhoso!", o líder do grupo comentou, e todos os membros do grupo concordaram que isso seria uma coisa muito boa a fazer.
No entanto, do fundo da sala, um homem fala alto: "Eu iria para a casa da minha sogra nas minhas últimas quatro semanas de vida".
Todos ficaram intrigados com essa resposta, e o líder do grupo perguntou: "Por que a casa da sua sogra?"
Então o homem sorriu sarcasticamente e disse: "Porque com certeza seriam as 4 semanas mais longas da minha vida!"
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.

Por Que Será Que Minha Mulher Tem Tanta Sorte em Rifas?


Certo dia, uma mulher chega em casa do trabalho e seu marido percebe que ela está usando um colar de diamantes. Ele pergunta à sua esposa: "Onde você arranjou esse colar?"
Ela responde: "Eu ganhei em uma rifa no trabalho. Vá preparar o meu banho enquanto eu faço a janta".
No dia seguinte, a mulher chega em casa do trabalho usando uma pulseira de diamante. O marido pergunta: "Onde você arranjou a pulseira?"
Ela responde: "Eu ganhei em uma rifa no trabalho. Vá preparar meu banho enquanto eu começo o jantar".
No dia seguinte, o marido percebe que ela chega em casa do trabalho usando um casaco de visom. Ele diz: "Suponho que você tenha conseguido esse casaco em uma rifa do trabalho?"
Ela responde: "Sim, exatamente! Como você adivinhou? Vá preparar meu banho enquanto eu começo a jantar ".
Mais tarde, depois do jantar, quando vai tomar seu banho, ela percebe que há apenas um dedo de água na banheira. Ela grita para o marido, "Querido! Por que só tem uma poça de água na banheira?"
Ele responde: "Eu não queria que você molhasse o ‘bilhete’ da sua rifa!"
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.

Os Estranhos Que Fingiram Ser um Casal no Trem

Um homem e uma mulher, que nunca se viram na vida, encontraram-se no vagão de um daqueles trens chiques da Europa que têm leitos.
Após o embaraço inicial, ambos acabam dormindo. O homem no beliche superior e a mulher na parte inferior.
No meio da noite, o homem se inclina, acorda a mulher e diz: "Sinto muito incomodá-la, mas estou com muito frio e eu queria saber se você poderia me passar outro cobertor?"
A mulher se inclina e, com um brilho no olhar, diz: "Eu tenho uma ideia melhor! Só por hoje, vamos fingir que somos casados!"
"ESTÁ BEM!" PERFEITO!", o homem responde entusiasmado.
"ÓTIMO... pegue seu maldito cobertor você mesmo!", veio a resposta.
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.

sábado, 8 de dezembro de 2018

Defesa de Dissertação em Saúde Coletiva (UECE) de Ana Vilma Leite Braga

Flagrante da banca com a mestranda, logo após a Defesa de Dissertação da enfermeira ANA VILMA LEITE BRAGA. Ana Vilma está ladeada pelos professores Antônio Rodrigues Ferreira Junior e Thayza Miranda Pereira, à esquerda, e por Marcelo Gurgel Carlos da Silva e Mônica Cardoso Façanha, à direita. (Foto cedida pela mestranda).

Aconteceu na manhã de ontem (7/12/18), na Universidade Estadual do Ceará, mais uma defesa de Dissertação de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (PPSAC) da UECE.
A banca examinadora, composta pelos Profs. Drs. Marcelo Gurgel Carlos da Silva, Mônica Cardoso Façanha, Antônio Rodrigues Ferreira Junior e Thayza Miranda Pereira (suplente), aprovou o Projeto de Dissertação “Atuação do enfermeiro na gestão do processo de trabalho no serviço de vacinação”, apresentada pela mestranda ANA VILMA LEITE BRAGA.
Com essa conclusão, completamos 46 (quarenta e seis) orientados de mestrado.
Marcelo Gurgel Carlos da Silva
Professor do PPSAC-UECE

NATAL DA ACADEMIA CEARENSE DE MEDICINA - 2018


A Academia Cearense de Medicina (ACM), como faz anualmente, realizou a sua confraternização natalina. O evento aconteceu na noite de ontem (7/12/18), no Hotel Sonata de Iracema, e contou com a participação de bom número de acadêmicos titulares; a maioria deles fez-se acompanhar de seus diletos cônjuges.
O presidente da ACM, Ac. Djacir Figueirêdo deu as boas-vindas a todos os presentes e conclamou-os a se engajarem no apoio à candidatura do Ac. Marcelo Gurgel que pleiteia ingresso na Academia Cearense de Letras.
Não eu estava ciente dessa proclamação do Ac. Djacir Figueirêdo mas, instado a falar, agradeci o empenho do nosso presidente e confirmei que deveria formalizar a inscrição para concorrer à vaga aberta para imortal das letras cearenses e, na oportunidade, divulguei a doação aos convidados que fazia de quarenta livros de nossa autoria, sendo dez de cada título: Embates & Combates, Dalgimar Beserra de Menezes, Ideias Médicas Contemporâneas e Apontamentos de um Escriba.
A destacar na celebração, a bela saudação natalina, pronunciada pela professora e escritora Ângela Maria Mota Gutiérrez, esposa do acadêmico Osvaldo Gutiérrez, bíblico, que iniciou sua fala no Velho Testamento, e terminou no Novo Testamento, aludindo a passagens da Bíblia Sagrada sobre o nascimento do Menino-Deus, entremeando com bonitas referências da Oração de São Francisco e versos de Manuel Bandeira e de João Cabral de Mello Neto.
À frente da organização, esteve o diligente confrade Vladimir Távora, que brindou a todos com um CD de trinta músicas selecionadas, todas cantadas em quatro idiomas.
Marcelo Gurgel Carlos da Silva
Da Academia Cearense de Medicina

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

AOS VIVOS: O pão do Cartaxo ... e outros causos


O pão do Cartaxo

Final da década de 60, meninos do buchão, morávamos no Otávio Bonfim. Onde hoje se estende a novíssima Avenida José Jatahy, era caminho de trem, que cruzando a Bezerra de Menezes atrapalhava sobremodo o trânsito ainda xoxo. Siqueira Gurgel, igreja de Nossa Senhora das Dores e 3º Distrito por testemunhas.
Porque eu testemunhei o que aconteceu naquele dia ao colega Joaquim, futuro arquiteto Cartaxo! Ele morava na rua do trilho, algo entre as ruas Azevedo Bolão e Gustavo Sampaio. Tempo de chuva. Beirava às 17 horas. A pedido da mãe, fora comprar o pão da janta ainda morno em bodega próxima – só uma bisnaga grande, pão semolina. Já passado na manteiga.
A metros de casa, a ruma de pivetes. Negadinha do mesmo tope jogando triângulo, o do ferrinho da ponta de cima entortada, que se atira ao chão, ziguezagueando linhas para ora fugir, ora “fechar” o adversário. O ingênuo Joaquim, pão que era um medonho na mão, desvia a atenção de casa e põe-se a cubar a brincadeira.
Foi aí que o cão atentou, despertando a atenção do cão de um dos meninos. O mais esgalamido de fome (‘três cruz’ de lombriga no bucho) oferece o triângulo a Joaquim, matreiramente...
- Vai lá, mah! Tomaí! É a tua vez! Me dá o pão que eu seguro!...
Joaquim Cartaxo dormiu com fome naquela noite. Fumando numa quenga!
As duas maneiras de tratar um doido
Coitado do João Romão. Puxa da perna, manqueja, anda com uma dificuldade tremenda pelas ruas. Mas não deixa de ir ao trabalho, dia nenhum. Funcionário da Rffsa. Nunca perdeu um dia de labuta. Servidor exemplar.
Mas, coitado do João Romão, puxando da perna, manquejando... Pra falar a verdade, parece um caranguejo se arrastando pelas artérias da cidade. Trabalhador único. Sem falta alguma na ficha de presença, se faltar, faz falta.
Certo dia, tive a honra de ir a casa dele, a seu convite, experimentar peixe da Amazônia (matrinxã) preparado pela esposa. Casa boa, frente pro sol, arejada. Cheguei cedo. Tive de esperar os dois se arrumarem. Fiquei no alpendre. Pra meu espanto, lá vem fagueiro o João Romão, sem puxar da perna, sem manquejar.
- Diabeisso? Parou de cachingar?
- É que em casa eu ando normal. Lá fora, esse ‘deixa que eu chuto’ é charme!
- Parabéns, você tá certo – errada é a Bíblia!
- Obrigado pela força!
Até hoje ninguém descobriu a outra maneira de tratar um doido.
O cachorro que bota ovo
Se você não acredita, venha comigo num sábado desses à casa do Jair (que dizem estar com Parkinson), no beiço da Lagoa do Opaia. Chama-se Brega o cachorro dele que bota ovo – ovo lavrado. Com a do mês passado, é a oitava ninhada de ‘pintachorro’ que tira. Aliás, ovo de cachorro é mais nutritivo que de galinha. É estranho, sem dúvida. Falam até que é coisa de bruxaria. Mas Jair está tranquilo, e acalma os que lhe querem bem:
- Quem não deve não treme!
Fonte: O POVO, de 14/10/2017. Coluna “Aos Vivos”, de Tarcísio Matos. p.8.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Depois de flagra, vereadores passam por teste de bafômetro na Paraíba


Cidade no sertão da Paraíba compra kit para medir álcool no sangue dos parlamentares antes das sessões
Paraíba - Depois de flagrar colegas de trabalho bêbados, o presidente da Câmara Municipal de Piancó, Pedro Aureliano da Silva (PMDB), teve uma ideia inusitada: obrigar os vereadores a fazer o teste do bafômetro antes das sessões parlamentares. A medida tem por objetivo pôr fim as brigas ríspidas entre os vereadores que, segundo o presidente da Câmara, são causadas em sua maioria pelo consumo de bebidas alcoólicas. 
A compra do bafômetro causou polêmica em Piancó, que fica a cerca de 400 quilômetros de João Pessoa, no sertão da Paraíba. A Câmara gastou R$ 1.605 com a compra do kit para o teste do bafômetro, que inclui 100 refis. A assessoria jurídica da Mesa Diretora da Câmara vai elaborar regras para o uso do teste de alcoolemia.
Para justificar o uso do bafômetro, Pedro Aureliano contou que uma garrafa de uísque caiu do bolso do paletó de um vereador durante uma discussão. “Em uma determinada sessão, os vereadores tiveram uma discussão ríspida em plenário e um litro de uísque caiu do bolso do paletó de um parlamentar, o que é inaceitável”, disse o presidente da Câmara.
O vereador Antônio Azevedo Xavier (PTN) disse que “por recomendação médica” consome bebidas alcoólicas diariamente. Afirmou ainda que não é o único parlamentar de Piancó que faz isso. “Todos os parlamentares aqui bebem. Eu mesmo tomo cinco ou seis doses de uísque por dia, mas por recomendação do meu cardiologista”, afirmou Xavier. Ele observou que consome bebidas somente pela manhã e que as sessões ocorrem à noite.
Na tentativa de moralizar a Câmara de Piancó, o presidente Pedro Aureliano disse que pretende tomar outras medidas para coibir casos de mau comportamento entre os vereadores. “Nas esquinas , soube que o povo também chamava (a Câmara de Vereadores) de ‘canil’ em virtude das brigas semelhantes às de cachorros. Se eu não tomasse medidas moralizadoras, a casa iria fechar”, afirmou. Pedro Aureliano informou que, se os vereadores se comportarem e participarem sóbrios das sessões, o bafômetro será doado à PM.
O bafômetro custou R$ 1.605e foi comprado em outubro de 2015.
Fonte: Jornal O Dia. De 6/2/16.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Dom Edmilson da Cruz comemora 70 anos de sacerdócio


Dom Edmilson da Cruz, bispo emérito de Limoeiro do Norte (Foto – Paulo MOska)

Dom Edmilson da Cruz, bispo emérito de Limoeiro do Norte, ganhará Missa de Ação de Graças hoje, às 19 horas, na Igreja da Prainha, por seus 70 anos de sacerdócio. Após o ato religioso, haverá confraternização com o bispo no salão ao lado da igreja. A homenagem parte das Irmãs Josefinas e de pastorais sociais que sempre tiveram no religioso, agora aos 94 anos, um exemplo de luta em defesa dos pobres e que sempre bradou contra a sociedade de injustiças institucionalizadas.
Corajoso, nunca se curvou aos poderosos.
Um exemplo disso ocorreu no dia 21 de dezembro de 2010. Dom Edmilson, nessa data, recusou receber a comenda Dom Helder Câmara de Direitos Humanos do Senado. Nada de desrespeito à comenda, mas numa atitude de protesto contra o aumento salarial de 61,8% aprovado pelos parlamentares em causa própria. O bispo emérito discursou perante um plenário de senadores surpresos. Foi ousado e aplaudido pela maioria dos brasileiros nessa ocasião, insatisfeitos com uma classe política longe da realidade do País.
Fonte: O Povo, de 5/12/18. Coluna Eliomar de Lima. p.2
.

BOLSA GESTAÇÃO


Meraldo Zisman (*)
Médico-Psicoterapeuta
Assisto com cautela geriátrica às campanhas públicas, como sempre, pirotécnicas, mormente se o assunto tratado for de tema sexual, violência e envolvendo os jovens. Viralizam. Aquelas notícias sobre benesses e malefícios da tal Bolsa família, também, desde que implantada, passou a ser imexível. Proferem os denominados cientistas políticos ser ela o mais potente cabo eleitoral brasileiro.
Varando da obstinação psicótica (não referente a indivíduos portadores de psicose e mais como ideia fixa), surge construída a cortina noticiosa da corrupção envolvendo as mais diferentes plataformas difusoras; arrisco-me, como solitário contributo de médico, a mencionar as consequências da gestação em adolescentes ou, dito de maneira distinta: uma criança desenvolvendo outra em seu interior.
Assim, se a corrupção passou a ser o bode expiatório das mazelas nacionais, e ela preexistia na formação da nação brasileira, acrescento mais esta:
Para mim a crise atual não passa de mais um episódio banal(?), corriqueiro que tomou rumos diversos das tradicionais revoluções latino-americanas. E espero que assim continue.
Advirto, pois o País se encontra dividido, e os grupos se digladiam em adjetivismos explosivos que nada de positivo podem trazer. Mexer agora com eleições precoces, soluções e medidas conjunturais é tornar muito pior o que acontece. Após escritos esses avisos introdutório-filosóficos, acudo-me no bardo inglês William Shakespeare (1564-1616) quando afirma: O diabo pode citar as Escrituras quando isso lhe convém.
E, no caso nosso, digo: “Poderosos que jamais foram trocados não vão dar certo, seja reforma trabalhista ou previdenciária, sem antes advir a reforma política”.
Peço, por favor, não me respondam com números a este incentivo ao aumento populacional para com o título deste artigo. O que temo ao abordar tais assuntos é envolver a Ciência da Estatística deficiente e erros de coletas, criando mais um diagnóstico de situação, apenas numérico, que serve exclusivamente como alavanca ao empoderamento político-ideológico, seguido dos belos discursos, retóricos e infinitos.
Os números, nunca esquecer, prestam-se à interpretação que convém ao poder. A minha pergunta direta é: - Com a complementação da ajuda (Programa Bolsa Família P.B.F.), aumentada para gestantes, e que se prolonga por seis ou mais meses, o tempo do incentivo à amamentação não estaria ajudando o avanço do número de gestações nas jovens? Jovens que, com a gravidez, passam a ter direito a candidatar-se ao P.B.F., acrescentando às suas ínfimas benesses mais um valor agregado à tal agora contaminada Bolsa Gestação?
Em termos de sociedade (de um país), a adição de um valor aos produtos se dá quando há remuneração de fatores de produção. Com o programa Bolsa família não se produz coisa alguma, é sim obra caridosa, que gera o aumento do número das gestações nas adolescentes indigentes (como era denominado o doente pobre que não podia pagar o ato médico e era socorrido pelas Santas Casas da Misericórdia). Isto acende a luzinha de meu acautelar geriátrico: Não estamos aumentando a população da Miséria? Cuidado com mais essa pseudoajuda. De nada vale ajudar os fracos e depois não ampará-los.
(*) Professor Titular da Pediatria da Universidade de Pernambuco. Psicoterapeuta. Membro da Sobrames/PE, da União Brasileira de Escritores (UBE) e da Academia Brasileira de Escritores Médicos (ABRAMES). Consultante Honorário da Universidade de Oxford (Grã-Bretanha).

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

DRIBLANDO A CENSURA DO FAMILIAR

Cine Familiar. Desenho à bico de pena do artista Tarcísio Garcia.
(Reproduzida do nosso livro "Frei Lauro Schwarte:o apóstolo da juventude do Otávio Bonfim").


Entre 1936 e 1971, o Cine Familiar funcionou, sem interrupção, no Otávio Bonfim, agregado à quadra do Convento de Nossa Senhora das Dores, da Ordem dos Franciscanos Menores, situado em Fortaleza.
Os frades, com o propósito de zelar pela conduta moral de seus fiéis, e também clientes do seu cinema, efetuavam uma triagem dos filmes que poderiam ser ofertados, e, inclusive, dentre os selecionados para projeção, antecipadamente, cuidavam de ver as películas, autorizando cortes de cenas julgadas ofensivas à pudicícia, o que incluía o beijo na boca, até de casais românticos; cenas de sexo, explícitas ou não, sofriam a ação da tesoura, que truncava a sequência, de forma claramente perceptível pela assistência.
Narra-se, até mesmo, um episódio em que um frade, que acompanhava a exibição de um filme, notou que uma cena, cuja sentença capital fora expedida, escapara do corte. Ele, de pronto, sobe à sala de projeção, e interrompe, com a mão, a transmissão do trecho censurado. A atitude dele suprimiu apenas as imagens, enquanto as falas e os sons prosseguiram, o que despertou o protesto da assistência, manifesto em uma estrepitosa vaia.
Uma traquinagem dos pirralhos era bisbilhotar parcela do lixo do convento, pois os frades colocavam-no em um buraco, e ateavam fogo, como forma de destino final das partes censuradas dos filmes. Ao fuçar as cinzas, os aventureiros juvenis encontravam películas queimadas, e, por vezes, captavam pedaços não carbonizados, conformando pequenos troféus, que aguçavam a curiosidade da meninada.
Para os que tinham um pouco mais de recursos, essas preciosidades eram colocadas em uma cartela e apreciadas em um visor de slides; a maioria dos adolescentes, no entanto, considerando que “quem não tem cão, caça como gato”, montava um apetrecho, para visualização dos slides, recorrendo a uma caixa de madeira, em que se introduzia uma lâmpada incandescente, da qual eram removidos o bulbo e os filamentos, cheia de água limpa, deixando-a bem transparente. A caixa funcionava como uma câmara escura, e por meio de um orifício no exterior, à altura da lâmpada, os diapositivos podiam ser vistos ampliados e com maior nitidez.
Essas poucas relíquias, salvas do fogo, como se fossem as sarças ardentes não consumíveis, descritas no Êxodo, eram como a fênix, nascendo das cinzas, para corar as faces de garotos entrados na puberdade, despertando-os para os pecados da carne, e atiçando a vontade de conjugar o verbo conhecer, no sentido bíblico.
Prof. Dr. Marcelo Gurgel Carlos da Silva
Nascido e criado na Paróquia das Dores

* Publicado In: ACADEMIA CEARENSE DE MÉDICOS ESCRITORES. Revista da ACEMES. Fortaleza: ACEMES, 2018. Nº 2. 268p. p.189-90.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Sessão Remêmora da Academia Cearense de Medicina - 2018


A Diretoria da Academia Cearense de Medicina convida para a sua quinta Sessão Remêmora do Sodalício, na qual serão prestadas homenagens póstumas aos confrades centenários ou que faleceram no corrente ano.
As saudações aos homenageados serão feitas pelos seguintes confrades:
Ac. Francisco Valter Justa de Freitas – Ricardo Gouveia Soares (centenário)
Ac. Luiz Carlos Fontenele –José Iran de Carvalho Rabelo (in memoriam)
Ac. Pedro Henrique Saraiva Leão –José de Aguiar Ramos (in memoriam)
Ac. Francisco Flávio Leitão de Carvalho – Maurício Cabral Benevides (in memoriam)
Local: Auditório da Pró-Reitoria de Extensão da UFC
Rua Paulino Nogueira, 315, térreo, Bloco III Telefone: 3223-2782 (ACM)
Data: Dia 5 de dezembro de 2018 (quarta-feira) Horário: 15 horas
Traje: Esporte fino

DESIGUALDADES NACIONAIS


Por Luiz Gonzaga Fonseca Mota (*)
A despeito do passado, as causas das desigualdades no Brasil estão, principalmente, nas limitações do processo de desenvolvimento, nas tentativas fracassadas de ajuste fiscal e nas consequências pouco vantajosas do processo de reestruturação econômica imposto pela globalização. Ao longo de 1980, o crescimento econômico brasileiro foi prejudicado em razão da crise gerada pela dívida externa, pelo progressivo déficit público e a consequente crise do Estado e da administração pública, além da inflação decorrente e das tentativas malsucedidas de estabilização monetária. Os resultados não poderiam ser outros que não o agravamento dos problemas sociais. Os efeitos também se fizeram sentir no nível elevado de desemprego em todo o País face à redução no ritmo de crescimento. Por sua vez, o processo de urbanização foi um dos mais velozes. Em 1950, a zona rural detinha 75% da população, atualmente cerca de 80% dos brasileiros vivem nos centros urbanos. Formaram-se então os chamados “cinturões de miséria” na periferia das cidades, acentuando a má distribuição de renda e prejudicando substancialmente a oferta de serviços sociais básicos (saúde, educação, segurança, etc.). O Brasil apresenta uma péssima distribuição de renda: cerca de 1% dos mais ricos concentra 13% da renda nacional e, por outro lado, 50% dos mais pobres ficam também com 13%. Ademais, as desigualdades regionais persistem. O Nordeste, por exemplo, ao longo do tempo, continua com um terço da população brasileira e participa com apenas 13% a 14% do PIB. Faz-se necessária a realização de investimentos compatíveis com o peso demográfico, de natureza estrutural e não apenas circunstancial. O futuro Governo brasileiro deverá herdar, de outros, dificuldades na maioria das áreas de ação. Por fim, enquanto persistirem estas desigualdades, o Brasil não será um País justo.
(*) Economista. Professor aposentado da UFC. Ex-governador do Ceará.
Fonte: Diário do Nordeste, Ideias. 23/11/2018.

domingo, 2 de dezembro de 2018

Uma Cirurgia Para lá de Inusitada...


Um homem marca uma consulta com um médico e, no dia, ele vai direto ao ponto: “Bom, doutor, meu nome é Marcos. Eu vim aqui porque quero ser castrado”.
“O quê?! Mas por quê? Tem certeza disso?”, perguntou o médico, perplexo.
“Sim, é algo que eu tenho pensado em fazer há muito tempo e acho que agora é a hora para isso”, responde Marcos.
“Mas você pensou nisso? Você REALMENTE pensou nisso?”, insistia o médico, ainda pasmo. “É uma operação muito séria e irreversível, se você realmente fizer não tem volta. Vai mudar a sua vida para sempre!”
“Sim, eu estou ciente, doutor, e não vou mudar de ideia, então pode marcar a cirurgia ou então eu procuro outro médico”, diz Marcos.
“Bem, se é assim...”, diz o médico, “mas eu já deixo claro que depois não adianta vir me procurar caso você se arrependa!”
E assim foi feito: dias depois, Marcos fez a cirurgia. Ele então caminhava lentamente pelo corredor do hospital com as pernas abertas. Vindo em direção a ele, outro paciente também caminhava exatamente da mesma forma.
“E aí, rapaz”, diz Marcos a ele, “parece que você fez a mesma cirurgia que eu”.
“Sim”, responde o homem. “Depois de 30 anos eu finalmente decidi que era a hora de fazer uma circuncisão”.
Marcos bateu a mão na testa e falou em pânico: “Essa não!! ESSA era a palavra que devia ter dito para o médico!!!”
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.

O Imigrante Brasileiro em Portugal


Um imigrante brasileiro trabalhava na seção de verduras de um pequeno supermercado em Portugal.
Certo dia, um homem faz um pedido incomum... Ele queria meio pé de alface. O brasileiro, então, pede ao cliente que aguarde, pois teria de consultar o gerente. Na gerência, ele grita da porta:
- Patrão, tem um cabra unha de fome que quer só meio pé de alface...
Antes de terminar de gritar, o brasileiro se dá conta de que o cliente estava bem atrás dele.
Então, virando-se para ele, o brasileiro acrescenta com voz aveludada:
-...e este distinto cavalheiro se oferece para comprar a outra metade!
O gerente, convencido, concorda com a venda.
No final do expediente, o gerente diz ao funcionário brasileiro:
- Você sabe lidar bem com situações inesperadas. É de funcionários assim que eu gosto. De onde você é?
- Do Brasil.
- Ah, é? E por que você deixou seu país?
- O Brasil está um caos. Só se fala em futebol e só tem mulheres desfrutáveis.
- Ora, pois! Minha mulher é brasileira - responde o gerente.
- Não me diga... Retruca o brasileiro. Em que time de futebol ela jogava?
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.

Ele Estava a mil Por Hora na Avenida, Até Que...


Um policial de uma pequena cidade do interior parou um motorista que estava em alta velocidade na avenida principal.
"Mas, senhor policial, eu posso explicar", disse o homem. 
"Fique quieto! Vamos para a delegacia e você ficará lá até que o delegado volte..."
"Mas, seu policial, eu só queria dizer que..."
"Eu disse para ficar quieto! Você vai para o xadrez e assunto encerrado!"
Poucas horas depois, o policial olhou para o prisioneiro e disse: "Sorte sua que o delegado está no casamento da filha dele. Ele estará de bom humor quando voltar".
"Não conte com isso", respondeu o sujeito na cela. "Eu sou o noivo."
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.
 

Free Blog Counter
Poker Blog