quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

100 ANOS APÓS...


Por Weiber Xavier (*)
A pandemia de 1918, conhecida como "gripe espanhola" afetou cerca de quinhentos milhões de pessoas, dizimando cerca de um terço da população mundial, aproximadamente 50 a 100 milhões de pessoas, a mais letal doença na história da humanidade. Na época não se sabia a causa e alguns a referiam como uma "praga bíblica". Hoje se sabe através do conhecimento das sequências genéticas de espécimes congelados a causa viral (vírus da influenza H1N1) dessa tragédia.
Apesar do avanço das técnicas genéticas e biologia molecular, no diagnóstico e conhecimento imunológico, algumas questões permanecem desafiadoras, particularmente com o aumento da população mundial e o seu fácil deslocamento.
O vírus da influenza H1N1 causa uma broncopneumonia de evolução rápida e letal levando à insuficiência respiratória grave, necessitando de ventilação mecânica e cuidados de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).
Na análise de estudos sobre a epidemia de gripe por H1N1 de 2009 dentre as características clínicas dos pacientes observou-se que 15 a 30% dos pacientes infectados foram hospitalizados, dos quais 25% dos pacientes precisaram de cuidados intensivos (UTI), com uma mortalidade observada entre 14 e 28%. 
Cerca de 65% dos pacientes admitidos à UTI necessitaram de intubação e utilizaram uma média de oito dias de ventilação mecânica. Estima-se um aumento de até 45% dos recursos em UTI numa possível próxima epidemia. 
Uma demanda considerável para os nossos já sobrecarregados hospitais.
Os recursos que podem ser necessários em UTIs para administrar uma possível nova pandemia causam preocupação, particularmente em nosso meio, onde já vivenciamos limitação de leitos de UTI e recursos em saúde.
A possibilidade de que mais de 2 milhões de pessoas precisem repentinamente de cuidados intensivos com suporte ventilatório é um lembrete assustador dos desafios da pandemia de gripe.
100 anos após, estamos preparados para uma nova pandemia?
(*) Médico e professor de Medicina da UniChristus.
Fonte: Publicado In: O Povo, de 26/12/2018. Opinião. p.14.

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

PhD EM ECONOMIA



O jovem cearense Felipe Bastos Gurgel Silva foi laureado com o diploma de PhD em Economia, com foco em Contabilidade e Finanças, pela Cornell University, Ithaca, nos EUA. Ele é graduado em engenharia aeronáutica pelo ITA e mestre em engenharia financeira pela Cornell University. Seu desempenho acadêmico garantiu a ele permanecer em Columbia (EUA). Fará carreira docente, contratado pela University of Missouri. Professor e pesquisador. Papai Marcelo Gurgel (foto) é só sorrisos.
Fonte: O Povo, de 14/01/2019. Vida & Arte. Coluna Lêda Maria. p.7.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

PENSAMENTOS


Por Luiz Gonzaga Fonseca Mota (*)
Deixarei de escrever neste espaço, até o dia 11 de janeiro vindouro, mas antes desejo ao leitor um Feliz Natal e um Próspero 2019. No presente texto, não consta um artigo, uma crônica ou mesmo um causo, pois fim de ano é uma época adequada para se fazer reflexões mediante a leitura de pensamentos. Aliás, segundo Voltaire, “Uma coletânea de pensamentos é uma farmácia moral onde se encontram remédios para todos os males”. Assim busquei imaginar algumas frases que poderão receber a aprovação ou não do leitor. A cultura literária, em qualquer lugar do mundo, deve ser livre cabendo a quem ler julgá-la. A vida transcorre num clima de alternância: ser ou não ser; esperança ou desesperança; alegria ou tristeza; começo ou fim; etc. Dentro deste quadro de referência, apresento 14 pensamentos extraídos de uma coletânea fruto da minha imaginação: 1. Deve-se buscar o sentido da vida e não a vida sem sentido; 2. A vaidade conduz à tristeza, a humildade à alegria; 3. Inveja, ódio e orgulho formam o tripé da insensatez; 4. Havendo fé, existe amor, havendo amor surge a paz, com Deus nada faltará; 5. Recomeçar é uma atitude de inspiração divina; 6. As pessoas que conduzem a idéia do mal, prejudicam mais a elas do que às outras; 7. A política pode ser tanto uma vocação digna, quanto vulgar; 8. Não se paga o mal com o mal, mas com justiça e procurando fazer o bem; 9. A generosidade e a paciência são as colunas da felicidade; 10. Afaste-se do invejoso e do vaidoso, aproxime-se do sincero e do humilde; 11. Como o ódio, a calúnia e a difamação são sentimentos gerados pela inveja e pela ganância; 12. O encantamento da boa poesia estimula a vida; 13. Agradeça sempre a Deus o que se pede, mesmo quando não for atendido; 14. Seja alegre: ame. De um modo geral, o que somos é consequência do que pensamos.
(*) Economista. Professor aposentado da UFC. Ex-governador do Ceará.
Fonte: Diário do Nordeste, Ideias. 21/12/2018.

domingo, 13 de janeiro de 2019

SOBRALENSE NO INFERNO


O cara chega no inferno e o diabo diz: põe no caldeirão!!!
O cara fica lá dentro assoviando e o diabo aumenta 5x a temperatura e diz: "quero ver se ele vai continuar assoviando!"
O cara continuou assoviando e começou a bocejar. O diabo ficou irritado e aumentou 10x...
O cara deitou no caldeirão! O diabo muito irritado aumentou 50x e nada!
O diabo chamou o cara e perguntou: tu é de onde misséria? O cara disse: "sou de Sobral-CE". O Diabo disse rapidamente:
"Põe no frio que ele morre!!"
Fonte: Internet (circulando por e-mail e i-phones). Autoria desconhecida.

BRINCANDO DE MÉDICO


O marido na cama cheio de boas intenções diz para esposa:
- Amor, vamos brincar de médico!
Ela pergunta:
-Do SUS ou particular?
- Não entendi! - diz ele - Qual a diferença?
- Se for do SUS só daqui a 6 meses e particular são 300 reais.
Fonte: Internet (circulando por e-mail e i-phones). Autoria desconhecida.

sábado, 12 de janeiro de 2019

ADIVINHANDO A IDADE EXATA DO VELHINHO


Quatro velhinhas estão sentadas à mesa, na geriatria, quando entra um velhinho.
Uma das vovós grita pra ele:
- Nós apostamos um bolo de laranja contra uma caixa de Viagra, que adivinhamos a tua idade exata.
Responde o velho:
- Suas velhas caducas, como é que vão adivinhar isto??
Diz outra velhota:
- É tiro e queda, baixa as tuas calças e cueca que nós diremos a tua idade exata!
Entre um pouco chocado, mas decidido a provar a incapacidade das velhas e muito interessado na aposta, o velho decide arriar as calças e a cueca!
As velhas fazem o velhote dar umas voltinhas e dar uns pulinhos, quando todas gritam, ao mesmo tempo:
- Tu tens 87 anos!
O velho fica pasmo e, ainda de calças arriadas, exclama:
- Putz, como vocês adivinharam isso??
E as velhas, chorando de tanto rir:
- É que estivemos, ontem, no teu aniversário seu bobo!
Fonte: Internet (circulando por e-mail e i-phones). Autoria desconhecida.

Eventos da XI Turma de Medicina da UECE - 2018



A solenidade da Colação de Grau da XI Turma de Medicina da UECE ocorreu no dia 11/12/18 (terça-feira), às 15h, no Auditório Paulo Petrola da Universidade Estadual do Ceará.
Na próxima semana transcorrem mais alguns eventos comemorativos da Turma Prof. Herivaldo Santos da Silva, a décima-primeira turma de médicos da Universidade Estadual do Ceará.
Eis a programação oficial ainda a cumprir:
1) Dia 15/01/19 (terça-feira), às 18h, no Theatro José de Alencar, a Noite de Hipócrates. (Aberta aos formandos, familiares e convidados em geral).
2) Dia 17/01/19 (quinta-feira), às 19h, na Catedral Metropolitana de Fortaleza (Centro), a Missa em Ação de Graças.
3) Dia 18/01/19 (terça-feira), às 9h, na Coordenação do Curso de Medicina/UECE, o Descerramento de Placa.
4) Dia 19/12/19 (sábado), a partir das 20h, no La Maison Coliseu – Bairro Dunas, o Baile de Formatura. (Acesso restrito mediante convites).
Prof. Marcelo Gurgel Carlos da Silva
Docente do Curso de Medicina-Uece

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

AOS VIVOS: O vaca sem coisa do Caubizinho ... e outros causos


O vaca sem coisa do Caubizinho

Deu-se em próspera cidade do Centro-Sul do estado, e muita gente boa prova. O caso da vaca que o amigo Caubizinho vendeu ao novo rico da hora, João Neném... Pra ser preciso, uma novilha de vaca nascida sem abertura externa do reto, por onde se expelem as fezes. No popular, vaca falta de carretel. Ah, trabalheira medonha teve Caubizinho com o infeliz animal, e com o infeliz comprador, diga-se.
Tudo começou quando o homem do animal sem ânus, também sem tostão no bolso, precisou apurar algum e pagar dívidas. Criava gadinho num sítio e tinha barzinho, de lá tirando o sustento. Soube que João Neném ganhara herança e buscava opções de investimento. Matreiro, Caubizinho apressa-se em conversar com o barão e oferecer-lhe gado vacum como a melhor aplicação.
- Nada de ações na bolsa, imóveis, ouro... Comprar gado é o que tá pegando!
- As posses são poucas! E depois, não tenho adonde criar!
- Se comprar a mim, deixe no sítio que tenho pasto.
De tanto insistir, João compra uma vaca de Caubizinho, justamente a que veio ao mundo sem lorto – fazia cocô pelo mesmo buraco do xixi.
A descoberta
Decorridos dias, o vaqueiro do comerciante vem à cidade, se mela e numa dessas dá de cara com João Neném, que pergunta pelo animal, que julga gordo, cevado.
- Tá morre num morre, sua vaca.
- Foi mordida por cobra? Tá impanizanada? Botaram caé nela?
- Sem ter por onde arrear o barro, como é que véve?
- Cê quer dizer que eu comprei uma vaca sem fiofó!?!
Começam as querelas
João ouve o que ouve de um vaqueiro embriagado e não dá lá esse crédito todo. Quer ver in loco. Vai ao encontro de Caubizinho e o convida a uma visita ao sítio.
- Estou ocupado agora. Sua vaca tá muito bem.
- Quero ver ela. Paguei!
- Minha palavra não vale?
- Posso ser franco?
- Bora lá...
A magra e caída era a vaca comprada por João. Pergunta ele por que o bicho mofino está deitado. Vendedor diz que é a sesta dela.
- Pois levante a bichinha e mostre o fundo!
Caubizinho faz barreira para o comprador não descobrir o ato falho da natureza. Enfim, a confirmação – carretel que era bom, nada. Dali direito pra delegacia. Feito o BO, delegado pede a presença da vaca.
Que chega na carroceria de um caminhão. Era verdade: João Neném fora enganado. Caubizinho contrata advogado, que pede tragam um veterinário. A saída: cirurgia reparadora no animal.
- Precisamos carrear pro lugar certo o canal defecativo.
O médico de bichos já fizera de tudo nesse mundo em matéria de operação, mas isso... Chutado de cana, não topou a parada. Daí sugere levem a vaca sem cagador pra Universidade, é caso raro na Ciência Veterinária. Ocorre que o transporte era cinco vezes o preço do animal. E finda a vaca morrendo.
Resultado: João Neném perdeu os três mil reais na compra do animal, Caubizinho gastou o dinheiro com burundanga e o tal advogado, que não recebeu os honorários em morda, todo dia vai ao bar do Caubizinho, enche o bucho de cerveja e, ao final da parada, rasga a conta apresentada e fala:
- Bota na conta da vaca sem cu!
Fonte: O POVO, de 16/12/2017. Coluna “Aos Vivos”, de Tarcísio Matos. p.8.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

DEZ ANOS DE FORMATURA DA TURMA PRIMA DO CURSO DE MEDICINA DA UECE


No acolhimento dos primeiros alunos do CURSO DE MEDICINA DA UECE, ocorrido em 24 de março de 2003, no Auditório da Pró-Reitoria de Graduação, percebia-se, com clareza, a natural angústia dos discentes, diante das incertezas de um novel curso, criado a peito, em 2002, pela alta direção da Uece, sob o comando do Magnífico Reitor Prof. Dr. Manassés Fonteles, e que fora incessantemente torpedeado por opositores, de diferentes matizes, dispostos a entravar a oferta de vagas, no primeiro vestibular.
A Aula Inaugural, assinalada pela conferência magistral proferida pelo Prof. Dr. Adib Domingos Jatene, ex-Ministro da Saúde e um dos mais celebrados médicos do Brasil, configurou um nascedouro sublime do curso. Nessa solenidade, ao lado das autoridades universitárias e das lideranças médicas cearenses, estavam os quarenta jovens recém-matriculados, muitos dos quais acompanhados de familiares que depositavam, em seus desdobramentos, expectativas de obtenção de uma apurada formação educacional, capaz de fazê-los médicos plenos, aptos ao bem cuidar, do corpo e da alma, de quantos viessem a buscar sua assistência.
As dificuldades naturais de um curso médico, em implantação, e os mecanismos adotados pela instituição, para superar as adversidades e as intercorrências de percurso, foram descritos, com muita propriedade, em vários depoimentos enfeixados no número 1 da revista comemorativa que fechava, com brilho, um ciclo de doze semestres, pontuados de muito estudo, esforço e dedicação.
Mesmo sofrendo duros reveses, a exemplo das três exaustivas greves que irromperam na universidade, pondo fim a mais de três décadas de normalidade acadêmica, a turma original chegara ao seu término, vencidos seis anos intensamente produtivos, com apenas uma defecção, fruto de um trancamento de matrícula provisório.
For essa coesão do grupo de trinta e nove concludentes que marcharam juntos, ombro a ombro, como companheiros, comendo do mesmo pão, a mais expressiva qualidade de uma tropa de vanguarda, responsável pela abertura do caminho que permitiu, aos formandos da Uece, alcançar o patamar da vitória, servindo de exemplo, inclusive, aos que virão a seguir, percorrendo a mesma trilha de sucesso.
Mercê do reconhecido mérito de que se fizeram credores, ao cabo de sua trajetória acadêmica, esses jovens novos médicos só fazem dignificar a Universidade que os acolheu, acreditando no potencial de cada um para transformar a sociedade atual, tão cheia de mazelas e tão carente de bons serviços de saúde.
Todos estamos, pois, de parabéns, engrandecidos pela honrosa despedida, marcada pela Solenidade de formatura da Turma Prima, realizada no suntuoso Theatro José de Alencar, em 8 de janeiro de 2009, coincidindo com a publicação do parecer do reconhecimento do curso pelo Conselho Estadual de Educação do Ceará, um ato regulatório que, de pronto, viabilizou a expedição do diploma de médico e subsequente registro profissional nos Conselhos Regionais de Medicina do Brasil.
Com certeza, 2008 não foi apenas o ano que terminou, quando se celebraram os duzentos anos da criação das duas primeiras escolas médicas brasileiras, mas aquele que se prestou de marco a novas e grandes realizações, para quantos então acabaram de se fazer médicos, à custa de muito sacrifício pessoal, embora amparados, pela graça de Deus.
Hoje, decorridos dez anos da diplomação da Turma Prima, tem-se o intangível júbilo institucional pelo êxito profissional dos que serviram de vanguarda às sucessivas e bem-sucedidas turmas de concludentes da MEDICINA DA UECE, a nossa querida MedUece.
Prof. Dr. Marcelo Gurgel Carlos da Silva
Patrono da Turma Prima

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Curso de Férias: INTRODUÇÃO AO LATIM


A Diretoria do Istituto di Cultura Italiana di Fortaleza (ICIF), em sua programação de férias CONHEÇA A CULTURA ITALIANA, está oferecendo o Curso de INTRODUÇÃO AO LATIM (para iniciantes) que será ministrado pelo latinista Dr. André Bastos Gurgel.
André Gurgel é advogado, com Especialização em Direito Previdenciário e em Direito Trabalhista, e cursa Doutorado em Direito Constitucional na Universidade de Buenos Aires-Argentina. É professor, intérprete e tradutor de algumas línguas modernas e estudioso de idiomas clássicos: latim, sânscrito e grego antigo. É docente efetivo da Faculdade Rodolfo Teófilo.
Local: Auditório do ICIF.
Av. Miguel Dias, 80, bairro Guararapes, Fortaleza. Telefone: 3273-4166.
Datas: Dias 18/01, 25/01, 1/02, 8/02 e 15/02 de 2019 (quintas-feiras) Horário: das 18h às 19h30.
Investimento: R$ 400,00.

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

55 ANOS DE FORMATURA E AMIZADE


Por Oswaldo Gutiérrez (*)
Parece que foi há pouco tempo, transporto-me a 1958, quando cheguei em Fortaleza para cursar a Faculdade de Medicina da UFC. Qualquer apreensão com o futuro vai desaparecendo pela recepção carinhosa da turma com a qual permaneço unido até hoje. Em nossos encontros comemorativos, relembramos com saudade, os momentos alegres e também os difíceis dos seis anos de vida acadêmica. Quem não se lembra, nas disciplinas básicas, do assombro de nossos olhos ao primeiro contato com o corpo humano, no anfiteatro de Anatomia? Das angústias com as provas de Fisiologia que ocorriam a intervalos semanais? E dos temidos exames finais de Bioquímica? Hoje, lembramos de tudo isso com emoção aliviada.
No terceiro ano do curso, passamos a frequentar enfermarias, ambulatórios, emergências e laboratórios do Hospital Universitário. Três anos depois, chegamos ao internato, período em que sedimentamos os conhecimentos adquiridos no currículo médico. No contato direto com o paciente, vivemos o entusiasmo em aprender a arte do fazer médico. Nesse momento, alguns dentre nós já começaram a pensar que área médica escolheriam em sua vida profissional.
Ao final do internato, concluído o curso, veio a grande emoção coletiva da esperada formatura, em que recebemos o Diploma Médico na Concha Acústica da UFC. Terminado o ano de 1963, a maioria dos colegas parte em busca de hospitais de prestígio com a finalidade de realizar residência médica, tão necessária à consolidação do que aprendemos ao longo do curso e, claro, importantíssima para o exercício de nossa profissão.
Há, então, uma ruptura do nosso dia a dia, mas o tempo de convivência deixara sentimentos de amizade duradoura, que celebramos com alegria e rememorações. Hoje, comemoramos 55 anos de formatura, mais de meio século de cumprimento de nossa missão na sociedade como médicos.
A saudade de nossos colegas que já se encantaram é infinita como infinito o tempo que eles hoje vivem. Que a turma de 1963 possa continuar sempre unida, relembrando o passado de aprendizagem e vivendo o presente de consolidação de nossos valores, como a amizade que nos une e a ética que respeitamos durante o exercício da nossa profissão.
 (*) Médico, professor da Faculdade de Medicina da UFC e membro da Academia Cearense de Medicina.
Fonte: Publicado In: O Povo, de 15/12/2018. Opinião. p.20.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

SEPARAÇÃO


Meraldo Zisman (*)
Médico-Psicoterapeuta
Antes que os movimentos feministas começassem a se preocupar com a manutenção/separação de um casamento, os conservadores de todas as classes pressionavam-se para que fosse mantida a união. A orientação era a de manter o casamento, mesmo que não tivesse dado certo, de qualquer maneira. A maioria das pessoas defendia então que o matrimônio heteronormativo seria o melhor que poderia existir para a adaptação ao lugar, ao ambiente natural, propicio para a criação dos filhos.
Essa atitude/regra ainda leva muitos casais a manterem casamentos que não deram certo e com isso transformam a união matrimonial em um ambiente destruidor.
Presencio, na minha prática clínica, vários casais que vivem juntos em nome do bem-estar dos filhos e depois que os filhos saem de casa (alguns até antes, muito antes disso) deparam-se com o vazio existencial que sempre existiu.
Esquecemos que o cérebro é o gerador das mais diversas criações e o fato é que, em havendo um útero, ele, por mais que seja controlado pelo mais brilhante dos cérebros, somente é capaz de, quando funciona, gerar filhos. Será que ainda vamos continuar pensado que o enigma feminino pode ser resolvido apenas pela gestação ou submissão?
Afirmava Shakespeare na peça a Megera Domada (Original de Lançamento - 1593): ‘Ou vivermos ainda no preceito que prende o servo ao soberano, e prende a mulher ao seu marido?
Acredito que, em pleno século XXI, cada pessoa deva ter o seu próprio modo de pensar e mais oportunidades de abrolhar no contemporâneo ocidental, sobretudo na classe média urbana brasileira.
As razões são individuais. A fé na razão apenas conduz ao que a razão faz às pessoas: converte-se no sentimento que a conduz.
As receitas para a realização subjetiva tanto nas pessoas que são estigmatizadas porque não querem adotá-las ou as que assim o fazem para cumprir uma regra, podem ser felizes ou infelizes, independente de seguir ou não seguir regras ultrapassadas pelo avanço da cultura e da ciência contemporâneas.
Desconheço quem seja dono dos próprios sentimentos. Depois de presenciar muitas separações, posso dizer que não poucas vezes uma separação é a melhor solução para todos e evita que se suporte a vivência ou a manutenção de uma união que não deu certo.
Não faço terapia de casais, pois acredito que ninguém deixa ninguém. Essa história que quem me deixou foi ele ou ela não existe. Casais se separam. Para a separação é necessário que haja duas pessoas. E só.
Quanto aos filhos, as mulheres – antes do empoderamento feminino – discutiam como evitar filhos, agora a conversa é como engravidar pois, na maioria das vezes, a figura do pai provedor é ultrapassada e elas se mantém sozinhas.
Para concluir, tenho visto a alegria do divórcio e das inúmeras modalidades de casamentos, desde um genitor só e um filho só até incontáveis configurações de múltiplos lares e famílias ampliadas que tiveram uma melhor qualidade de vida do que as que ficaram presas a um casamento fracassado, incluindo genitores e filhos daquele sistema afetivo desgovernado.
Quanto às uniões homoafetivas, separações e adoções ainda são muito cedo para falar. Esperemos até que casais homoafetivos desejem se separar. Fatos sociais novos devem ser analisados evitando-se as observações casuísticas. Que se aguarde as observações científicas.
Neste século XXI não existem profetas, quando muito, meros especuladores. Não há como fazer comparações e muito menos passados para serem analisados. Há muitas perguntas na vida que devemos aguardar para fazer. Nem toda a pergunta precisa de uma reposta imediata. Devemos esperar por novos acontecimentos.
(*) Professor Titular da Pediatria da Universidade de Pernambuco. Psicoterapeuta. Membro da Sobrames/PE, da União Brasileira de Escritores (UBE) e da Academia Brasileira de Escritores Médicos (ABRAMES). Consultante Honorário da Universidade de Oxford (Grã-Bretanha).

domingo, 6 de janeiro de 2019

A TURISTA NA FARMÁCIA DE ITU


A cidade de Itu, no interior do estado de São Paulo, é conhecida por ter tudo maior. Maior mesmo! Então, uma turista da capital foi até lá para ver se isso era verdade. Ela ficou impressionada com o tamanho dos telefones públicos, dos bancos das praças e até das comidas do restaurante. Durante o passeio, ela teve uma dor de cabeça e foi à farmácia:
– O senhor pode me vender duas aspirinas, por favor?
– Sim, senhora.
E o farmacêutico vem com uma aspirina do tamanho de um prato!
– O senhor não tem uma menor?!, diz a moça, chocada.
– Aqui em Itu nós temos as maiores aspirinas do mundo!
Ela decide levar o super comprimido e pede mais um item:
– Bem, então me dê um tubo de pasta de dente, por favor.
E o farmacêutico vem com um tubo tão grande que era preciso carregar com as duas mãos. E ele diz: aqui em Itu também temos a maior pasta de dente do mundo! A senhora precisa de mais alguma coisa?
Ela pensa um pouco e responde:
– Até precisaria, mas acho melhor comprar os supositórios na minha cidade!
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.

O QUE FAZER COM ESTA DOENÇA INCURÁVEL?


Um turista brasileiro fez uma viagem à China sozinho. Chegando lá, ele se divertiu aos montes e foi muito promíscuo. Uma semana depois de voltar para casa, ele percebeu que o seu membro começou a ficar coberto de estranhas manchas roxas brilhantes. Horrorizado, ele correu para o hospital para consultar um médico.
Mesmo com uma longa experiência, o médico nunca tinha visto aquilo antes. Ele pediu que homem fizesse uma série de exames e voltasse com os resultados. Dias depois, ele entregou os exames, o médico leu atentamente e disse ao homem:
“Tenho más notícias. O senhor contraiu a Rara Doença Venérea da Mongólia. E você é o primeiro paciente que vejo com isso”.
O homem ficou aparentemente aliviado e disse:
“Tudo bem, doutor, então passe para mim um remédio para curar essa doença”.
“Lembra quando te disse que tinha más notícias?”, disse o doutor. “Pois bem. Esta doença é incurável e pode se espalhar pelo seu corpo. A única solução para isso é fazer uma cirurgia para amputar o seu membro.”
“Não! Por favor! Isso não é possível! Deve ter uma outra solução! Eu vou consultar outro médico.”
“Bem, a escolha é sua. Faça o que achar melhor, mas a cirurgia é a única escolha.”
No dia seguinte, o paciente foi a um médico chinês, que com certeza sabia sobre essa doença rara. Ele examinou o membro do homem e disse:
“Ah, sim, Doença Venérea da Mongólia. Muito raro”.
Ele então diz ao médico:
“Sim, sim, eu já sabia, mas o que posso fazer? O médico brasileiro quer me operar e cortar meu membro fora!”
O chinês fez um sinal de não com a cabeça e disse:
“Médico brasileiro estúpido! Médico brasileiro sempre quer operar. Quer operar só para fazer dinheiro”.
“Então não precisa de cirurgia?! Ufa, ainda bem!”, disse o homem.
“Não precisa!”, responde o chinês. “Não se preocupa. Espera duas semanas e o seu membro vai cair sozinho!”
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.

sábado, 5 de janeiro de 2019

ESSE CARA COMETEU UMA GAFE NA CASA DA NAMORADA!


Um cara vai à casa de sua namorada pela primeira vez e ela o convida para sentar na sala de estar:
- Amor, você pode esperar um pouquinho aqui na sala enquanto vou à cozinha pegar algo para comermos?
- Claro, querida, espero aqui.
Sozinho, ele começa a observar a bela sala da casa da moça, e repara um bonito vaso em cima da mesa de canto.
Ele pega o vaso para ver melhor e, enquanto olha para ele, a namorada chega na sala. Ele pergunta:
- O que é isso, querida?
Ela diz:
- Ah, as cinzas do meu pai estão aí.
O homem fica vermelho de tanto horror e vergonha, e diz:
- Nossa! Eu não sabia... sinto muito... eu... hã...
Ela diz: Ah, não tem problema! É que ele morre de preguiça de ir à cozinha pra pegar o cinzeiro.
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.

POR FAVOR, ESCOLHA UMA SENHA


Hoje eu abri uma nova conta de e-mail e eu sempre uso a mesma senha: "repolho". É fácil de lembrar, mas parece que o computador tirou o dia para me irritar...
Por favor digite sua nova senha:
"repolho"
Desculpe, a senha deve ter mais de 8 caracteres.
"repolho cozido"
Desculpe, a senha deve conter 1 caractere numérico.
"1 repolho cozido"
Desculpe, a senha não pode ter espaços em branco.
"50malditosrepolhoscozidos"
Desculpe, a senha deve conter pelo menos um caractere maiúsculo.
"50MALDITOSrepolhoscozidos"
Desculpe, a senha não pode usar mais de um caractere maiúsculo consecutivamente.
"50MalditosRepolhos,
VáProDiaboQueCarregue, MeDêAcessoJá”
Desculpe, a senha não pode conter pontuação.
“ToMuitoIrritado50MalditosRepolhos
VaProDiaboQueCarregueMeDeAcessoJa"
Desculpe, essa senha já está em uso.
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Por Favor, Eu Quero Ver a Natalie


Ao abrir a porta do bordel, a Madame se depara com um homem muito bem vestido, e pergunta:
– Em que posso ajudá-lo?
– Gostaria de ver a Natalie – diz o homem.
– Senhor, Natalie é uma de nossas meninas mais caras… O senhor não quer ver outra de nossas mariposas da noite? – explica a Madame.
– Não, tem que ser a Natalie! – diz ele.
Minutos depois, Natalie chega para explicar ao homem que ela iria cobrar R$ 1.000 pela “visita”. Sem pestanejar, ele tira do bolso um maço de dez notas de R$ 100,00 e entrega sorridente para a moça.
Então os dois subiram para um dos quartos e, depois de uma hora, o sujeito saiu muito satisfeito. Na noite seguinte, o mesmo homem apareceu outra vez querendo ver a Natalie. Ela estranhou e disse que era muito raro a mesma pessoa contratá-la por duas noites seguidas, mas, mesmo assim, nem iria pensar em qualquer tipo de desconto.
Novamente o homem tirou outras dez notas de R$ 100 do bolso e, na companhia de Natalie, subiu para um dos quartos, e depois de uma hora se foi. Quando apareceu pela terceira noite seguida, ninguém podia acreditar. Novamente entregou R$ 1.000 à Natalie e foram os dois para um dos quartos.
Quando estavam subindo, Natalie perguntou para o sujeito:
– Ninguém nunca quis meus serviços por três noites seguidas. De onde você é e por que isso?
– Sou de Rio Preto – respondeu ele.
– Jura? – disse ela – Minha família também é de lá!
– Eu sei… – disse o homem – É que seu pai faleceu. Ele deixou uma herança de R$ 3.000 e as suas irmãs me pediram que eu viesse aqui te pagar.
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.

Obrigado Pelos Amendoins, Vovó...


Um rapaz vai com um amigo ao Maracanã assistir um jogo de futebol. Como a casa de sua avó fica no caminho, ele chama o amigo para dar uma passadinha lá para cumprimentá-la.
Aproveitando que o neto estava lá, a velhinha pede para ele consertar um vazamento na pia da cozinha. Enquanto isso, ela leva o amigo do neto para a sala e oferece-lhe uma bebida.
Junto com o copo está um pratinho de amendoins que o rapaz come sem parar, um por um. Tarde demais ele percebe que havia comido tudo que estava no prato.
Na hora de ir embora, o amigo agradece carinhosamente:
- Obrigado pela bebida e pelos amendoins... Espero não ter abusado, não lhe deixei nenhum sequer, desculpe!
A vovó, amável, responde:
- Não tem problema, meu filho. De qualquer maneira não posso comê-los. Depois que perdi meus dentes, eu só lambo o chocolate que vem envolta!
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

A Ligação Bombástica do Velhinho Para o Filho

Um pai de família, já nos seus 70 anos, liga para o filho na antevéspera do Ano-Novo e lhe diz:
– Emir, sinto muito ter que estragar o seu dia, mas tenho que te dizer que sua mãe e vamos nos divorciar, depois de 45 anos de convivência.
O filho fica indignado:
– Papai, o que você está dizendo?!, grita o filho.
– Não conseguimos mais nem nos olhar um para a cara do outro - disse o pai. E completou: - Vamos nos separar e acabou. Ligue para a sua irmã Jade e conte a ela.
Desvairado, o rapaz liga para a irmã, que explode no telefone.
– De jeito nenhum! Meus pais não irão se divorciar!! Vou ligar para papai agora!
Quando o velho atendeu, ela disse, quase gritando:
– Não façam nada até nós chegarmos aí amanhã. Eu e Emir vamos comprar as passagens e estaremos aí amanhã mesmo, ouviu?! E bate o telefone sem deixar o pai responder.
O velhinho desliga o telefone, vira para a mulher e diz sorridente:
– Pronto, Zoraide. Eles virão para o Ano-Novo e não teremos que pagar as passagens!!!
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

PROFESSOR DA FRT CRIA PROJETO PIONEIRO PARA ESTUDAR A DIVINA COMÉDIA DE DANTE


Dante Alighieri escreveu um dos maiores poemas épicos da literatura mundial: a Divina Comédia. Estudada até hoje, era livro de cabeceira de estudiosos de renome como Jorge Luiz Borges e Umberto Eco. A poesia de Dante, acompanhada da beleza intrínseca da língua italiana, faz com que esta seja uma obra merecidamente estudada e comentada há mais de oitocentos anos.

Em seus cem cantos o leitor tem acesso a uma verdadeira enciclopédia do saber da Antiguidade Clássica e da Era Medieval. Toda pessoa interessada em conhecer a mente de um homem do século XIII, a história e filosofia que norteava a civilização ocidental, deve ler a Divina Comédia. A obra é uma junção da perfeita dos conhecimentos legados da cultura greco-romana com os princípios cristãos. Jorge Luiz Borges estudou a obra-prima de Dante até a exaustão, mas costumava dizer que observava novos detalhes toda vez que a lia novamente.

O poema narra a viagem mística do protagonista (o próprio Dante) que, acompanhado do poeta Romano Virgílio e, posteriormente, de sua musa Beatriz e de São Bernardo, passa pelos três estágios do além-tumba, de acordo com a visão cristã medieval, - inferno, purgatório e paraíso. Em cada um desses estágios, Dante encontra personagens mitológicos como Caronte, Minos e Cérbero, mas também encontra personagens reais da antiguidade como Júlio César, Horácio, Virgílio, Cleópatra, e seus contemporâneos, como seu antigo tutor, o escritor Brunetto Latini, e o nobre florentino Farinata.

Mesmo para um italiano nativo, não é fácil ler a Divina Comédia.  A quantidade de referências clássicas é imensa, algumas tiradas da Eneida de Vírgilio, poema épico em latim do qual a maioria dos brasileiros nunca ouvira falar. Além disso, é preciso ter bastante conhecimento da filosofia de Aristóteles para entender a Divina Comédia. Pensando nisso, surgiu a ideia de se criar um grupo que se encontra mensalmente para ler e discutir a Divina Comedia - Gli Amici di Dante di Fortaleza - no qual um professor facilitaria a compreensão dos alunos.

Trata-se de um projeto pioneiro, justificado pela importância da Divina Comédia à que já nos referimos. O grupo é patrocinado pelo Istituto di Cultura Italiana di Fortaleza (ICIF), local dos encontros mensais na primeira quinta-feira do mês. Durante as aulas, o professor André Bastos Gurgel, docente da Faculdade Rodolfo Teófilo, apresenta as passagens mais importantes de cada Canto da Divina Comédia, incluindo comentários acerca do caráter filológico (não confundir com “filosófico”) do texto, além de considerações sobre o contexto histórico e os personagens reais e mitológicos que encontramos no decorrer da obra.

O objetivo é que tenhamos um grupo permanente para o estudo das obras de Dante Alighieri. Ressalte-se que, além da Divina Comédia, Dante também foi autor de belos poemas, além de um tratado sobre ciência política. As aulas são ministradas em italiano e em português e não se exige nenhum conhecimento prévio de história ou filosofia. Cada aluno pagará uma anuidade de cento e cinquenta reais.

Com essa iniciativa, espera-se que surjam também outros projetos que almejem desenvolver a cultura no Estado do Ceará.

Fonte: Postado em 13/12/2018 na home page da www.frt.edu.br.
 

Free Blog Counter
Poker Blog